P√°ginas

quarta-feira, 2 de janeiro de 1980

Capitólio "Mar de Minas" - MG





ūüďĆCAPIT√ďLIOūüďĆ

"O Mar de Minas"




Cidade localizada no Sudoeste do Estado de Minas Gerais √† 475 km de S√£o Paulo. Banhada pelo Lago de Furnas, um dos maiores lagos artificiais do mundo. A regi√£o √© repleta de bel√≠ssimas cachoeira, al√©m do famoso Mirante e os Canyons. 



Dia 01
Tudo começou pela Cachoeira do Filó (FOTO), localizada no município São João Batista do Glória, às margens da Rod. MG-050, no Km 300. Existe um acostamento na estrada, com um "pequeno estacionamento". Basta descer uma trilha de fácil acesso, para ter essa vista.


√Č poss√≠vel visitar a parte de cima da cachoeira tamb√©m. Basta retornar para entrada da trilha e seguir em uma outra trilha ao lado da estrada.


Depois de curtir esse visual de cima, seguimos estrada afora. A pr√≥xima parada foi no Mirante dos Canyons (FOTO), localizado tamb√©m na rodovia MG-050 entre os Kms 312 e 313. 
Muito f√°cil de encontrar, na pr√≥pria estrada, j√° visualizamos muitos carros, √īnibus e motos parados nos acostamentos e uma fila de pessoas seguindo para o Mirante.



Do outro lado da rodovia, mais uma atra√ß√£o: Cachoeira Diquadinha ou Dicadinha (FOTO). Com √°guas cristalinas, diferentes quedas e um po√ßo/piscina natural.



Quase hora do almo√ßo. Optamos por almo√ßar em um restaurante pertinho da ponte do Rio do Turvo e de frente ao “porto” de onde saem os passeios de barcos.

Dali, fomos para o passeio de lancha pelo Lago de Furnas, com dura√ß√£o de 3h. Mas existem passeios com chalana, catamar√£ e escuna. L√° encontramos muitas ag√™ncias que fazem o passeio, ent√£o n√£o deixaremos o link aqui. 

Em nosso lancha foram 8 pessoas e foi assimūüĎá:


1¬ļ - Bar Flutuante: parada r√°pida para comer, beber alguma coisa e usar o banheiro. Essa √© a vista!


2¬ļ - Cachoeira do Canyon: visual de tirar o f√īlego, √°gua cristalina e esses pared√Ķes deixam o lugar √ļnico.



3¬ļ - Cascatinha: s√≥ acess√≠vel de embarca√ß√£o. √Č bem diferente, pois descemos nessas pedras, onde √© poss√≠vel andar tranquilamente (mas tome cuidado com as pedras, escorregam demais).


Continuamos caminhando, em um certo momento bem ao meio vira uma po√ßo enorme e fundo. Para passarmos esse po√ßo, tivemos que andar do lado esquerdo onde existe uma passagem, que nos levou a outra piscinaūüĎá, que j√° n√£o era fundo.

    
Na frente dessa piscinaūüĎÜ a Cachoeira CascatinhaūüĎá
  


4¬ļ - Lagoa Azul: com um bar flutuante para quem chega de barco, mas tem op√ß√£o de fazer atrav√©s do Emp√≥rio Lagoa Azul, que o visitante pagar√° uma taxa e descer√° atrav√©s de uma trilha. As √°guas cristalinas em um tom de verde formam uma pequena piscina natural. Simplesmente Exuberante!!



Dia 02
Trilha do Sol, também na Rodovia MG-050, Km 304. Na verdade esse local é um complexo com pousada, cachoeiras e trilhas. Para quem não é hóspede, cobram uma taxa para visitação.

O local √© composto por um mirante, 3 cachoeiras abertas para visita√ß√£o, com trilhas muito bem sinalizadas para se chegar em cada atra√ß√£o. Fizemos a sequ√™ncia: 


1¬ļ - No Limite: seguindo a trilha, no meio do caminho, encontramos o pequeno mirante 


Continuamos a trilha e avistamos a cachoeira No Limite.



Ficamos um bom tempo, pois estávamos criando coragem para entrar na água gelada. Mas também não tinha como não entrar. Lentamente e aos poucos, fomos entrando. Logo o corpo acostumou. Frio? Nada! Até mergulhamos!! RsRsRs...


2¬ļ - Cachoeira do Grito: mais uma longa caminhada e chegamos no cart√£o postal da Trilha do Sol. Dizem que quem toma banho nessas √°guas deixa as supersti√ß√Ķes e medos para tr√°s com um grito bem forte.


3¬ļ - Po√ßo Dourado: Para chegar, tem que caminhar por dentro de um riacho estreito entre paredes de pedras. A √°gua bate no joelho, mas √© bem tranquilo. 



Sa√≠mos do complexo no final da tarde e fomos l√° perto do Mirante dos Canyons, na verdade ao lado, pois existia mais uma cachoeira. Como n√£o tinha sinaliza√ß√£o alguma no local, n√£o sabemos o nome. Basta apenas parar o carro no acostamento da rodovia e descer por uma pequena trilha.  


Caminhando, descendo acompanhando o fluxo d’√°gua, chega-se em um po√ßo natural, como mostra a foto. 


Finalizando o dia, j√° em Capit√≥lio (FOTO), fomos conhecer o complexo de pra√ßas e orla da pequena cidade. Parece um cal√ßad√£o de praia.  



Dia 03
Hidrel√©trica de Furnas (FOTO), localizada no Rio Grande, entre os munic√≠pios de S√£o Jos√© da Barra e S√£o Jo√£o Batista do Gl√≥ria. Existe um pequeno local com banheiros, barraquinhas de artesanato e um mirante para ter essa vista.


Ap√≥s a visita, seguimos para o Para√≠so Perdido (FOTO), em S√£o Jo√£o Batista do Gl√≥ria. A entrada fica na Rodovia MG-050, Km 321. Um acesso de terra com uns 4km em condi√ß√Ķes razo√°veis. N√£o √© permitido entrar com comidas nas cachoeiras, apenas √°gua. Mas existe uma estrutura com banheiros, restaurantes, √°rea de lazer, churrasqueira, lanchonetes e at√© camping.



N√£o conseguimos conhecer as 18 piscinas naturais, pois esse complexo √© muito grande e para cada piscina ou queda d’agua que voc√™ pretende ir, ter√° que ficar subindo por essas pedras. Muitas delas s√£o escorregadias, ent√£o tome muito cuidado.


Dia 04
√öltimo dia. Logo que sa√≠mos do hotel j√° tiramos uma foto, da Igreja Matriz S√£o Sebasti√£o.


Parada em Alpin√≥polis, para r√°pida visita √† pra√ßa e Igreja Matriz da cidade. 



Dali, chegamos em Carmo do Rio Claro, para visitar a Serra da Tormenta (FOTO), que √© uma eleva√ß√£o montanhosa de 1.287 m de altitude. Estradinha de acesso ruim, que al√©m de subida muito √≠ngreme, √© extremamente estreita, com curvas e com penhasco ao lado. O visual l√° de cima compensou o sacrif√≠cio, e muito! 



Almoçamos na cidade mesmo. Então, seguimos para Fama, às margens do Lago de Furnas. Tempos atrás a cidadezinha era muito procurada para banhos. Infelizmente hoje é imprópria.



E assim foi nossa trip pelo mar de Minas!!

Nenhum coment√°rio:

Postar um coment√°rio