Páginas

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

📌RIO GRANDE DO SUL: Porto Alegre


📌PORTO ALEGRE📌





Capital do Rio Grande do Sul, a cidade foi fundada em 1.772 por casais portugueses açorianos. Ao longo dos séculos seguintes, acolheu imigrantes de todo mundo, em particular alemães, italianos, espanhóis, africanos, poloneses e libaneses, entre católicos, judeus, protestantes e muçulmanos. Se tornando uma cidade multicultural por natureza, terra de grandes escritores, intelectuais, artistas e políticos que marcaram a história do Brasil.

DIA 1 
Em uma viagem de ônibus saindo de Nova Petrópolis, chegamos em Porto Alegre no começo da noite. Apenas saímos para jantar.

DIA 2
Um dos principais cartões postais de Porto Alegre, o mercado público tem 146 anos de existência, com suas paredes centenárias em estilo neo-clássico e conta com armazéns, tavernas, bares, açougues, fruteiras, restaurantes, barbearias entre outros. Se você procura por produtos tradicionais lá irá encontrar: cuias, diferentes tipos de erva-mate, charque e outras iguarias.


Piso superior com vista de todo mercado. 


Ao lado do mercado está o Paço dos Açorianos onde está a sede da prefeitura, tendo à sua frente à Praça Montevideo e a 'Fonte Talavera de La Reina', local considerado como marco zero da cidade. O prédio foi construído entre 1.898 e 1.901, em estilo eclético originado de padrões neoclássicos.  


De lá caminhamos um pouquinho até chegar na Praça da Alfândega, centro histórico da cidade, onde possui importantes edificações, tais como o Museu de Arte do Rio Grande do Sul (MARGS)... 


...Memorial do Rio Grande do Sul...


...Santander Cultural e o Clube do Comércio de Porto Alegre. No entorno da praça está a Inspetoria da Receita Federal, um prédio em estilo eclético.  


Seguimos à rua (Rua dos Andradas) atrás da praça e chegamos na Casa de Cultura Mario Quintana, um dos mais importantes centros culturais da cidade. O local era um hotel que foi residência do poeta por alguns anos e hoje sobrou o quarto com seus pertences ainda postos sobre os móveis. Os demais móveis viraram salas que abrigam biblioteca, espaço de estudo, cursos variados, salas de cinema e um jardim. No último andar, os visitantes encontram ainda um café de onde é possível admirar uma bela vista do Guaíba.



Seguindo na mesma rua, chegamos na Igreja Nossa Senhora das Dores, é a mais antiga igreja da cidade ainda de pé. Em estilo eclético com seu interior ricamente decorado com talha dourada num estilo barroco tardio com elementos neoclássicos, além de possuir um importante grupo de estátuas barrocas de Cristo em tamanho natural, representando o ciclo da Paixão. O edifício de grande significado histórico e artístico, foi tombado em nível nacional pelo IPHAN.


E, chegamos no Gasômetro! Um dos espaços culturais mais importantes e conhecidos da cidade. Funciona na antiga usina termelétrica do Gasômetro, inaugurada em 1.928, na chamada Praia do Arsenal, projetada para gerar energia à base de carvão mineral. Muito importante historicamente, pois foi palco da industrialização ainda incipiente no Brasil.

Datas importantes:
Em 1.974 - Usina encerra suas operações como geradora de energia e é desativada. 
Em 1.982 - Eletrobrás transfere para o município o uso do terreno. O governo estadual tomba a chaminé. 
Em 1.983 - Governo municipal tomba o prédio.
Em 1.991 - Aberto à população como Centro Cultural. Os 18 mil m² de área abrigam auditórios, salas multiuso, anfiteatros, espaços para exposições, cinema e teatro.


Ao fundo beirando o Rio Guaíba, existe esse píer, onde os moradores e turistas aproveitam para caminhar, correr, pedalar e passear de barco. 


Então fomos navegar pelas águas no Guaíba, o passeio dura cerca de uma hora, passando perto de casas de férias do pessoal de Porto Alegre, de várias ilhas e chega pertinho da Ponte Getúlio Vargas, que corta o rio que virou lago.


Vista do Gasômetro, do barco.


Vídeo do passeio!


Assim que terminamos, caminhamos uns 20 minutos até a Catedral Metropolitana de Porto Alegre, em estilo neo-renascentista seguindo, em escala menor, o modelo de São Pedro de Roma.


Paramos para almoçar um prato típico de lá chamado À la minuta: uma clássica porção de carne (frango, chuleta, picanha e filé), arroz, batata-frita, ovo e salada. 

Pertinho dali, estava a Escadaria 24 de Maio, um local inspirado na escadaria do RJ, cheio de azulejos coloridos com frases de moradores e poesias.


Mais uma caminhada de uns 25 minutos e chegamos ao Parque Redenção (Farroupilha), que em 1.997 foi tombado como patrimônio histórico, cultural, natural e paisagístico de Porto Alegre.

No local, existem várias opções de lazer, como o parque de diversões, os passeios de trenzinho e pedalinhos, o Mercado do Bom Fim (onde há lojas de conveniências e lancherias), a Feira Ecológica.


Além de diversos recantos, como Orquidário, Recanto Alpino, Recanto Oriental, Recanto Europeu, Solar, Fonte Luminosa, Espelho d’água e Auditório Araújo Viana, o parque conta ainda com 38 monumentos, com destaque para o Monumento ao Expedicionário (Arco).

Há cerca de 10.000 árvores, de espécies como chal-chal, pitangueira, paineira, tipuana, cocão, palmeira da califórnia, grinalda de noiva, jacarandá, ipê-roxo e cipreste.


Jardim do DMAE - inaugurada em 1.928 compõe um complexo de prédios da sede administrativa do Dmae, onde funciona a Estação de Tratamento de Água (ETA) Moinhos de Vento, que abastece vários bairros da cidade de Porto Alegre. 
Um lugar super bem cuidado, com lindos jardins, onde acontecem muitos ensaios fotográficos.


Depois fomos conhecer "a rua mais bonita do mundo", Rua Gonçalo de Carvalho, são 500 metros de extensão, onde mais de 100 árvores da espécie Tipuana estão enfileiradas. Algumas chegam a altura de um prédio de 7 andares fazendo com que a vista de cima seja ainda mais surpreendente.


DIA 3
Acordamos cedo como de costume, e de Uber fomos até o Jardim Botânico, localizado na Rua Dr. Salvador França, uma das vias mais movimentadas da cidade. Paga-se uma pequena taxa para visitação, o local não deve ser muito visitado por turistas, ou por ser longe ou por estar meio abandonado, segundo informações. Mas, achamos bem legal o passeio.


O jardim possui um terreno de 39 hectares coberto por cerca de 5 mil árvores, algumas delas na lista de espécies em extinção, e cortado por trilhas de terra com vista para diferentes vegetações...



...e para dois pequenos lagos, ambos habitados por tartarugas. Um deles já ao lado da entrada.



Lá está o Museu de Ciências Naturais, com a Exposição Rotativa, que exibe temas sobre o ambiente natural. 


A exposição apresenta 49 vitrines, que abordam a riqueza das espécies nativas do Rio Grande do Sul, tanto da flora quanto da fauna. 



Cada cantinho é uma vegetação diferenciada.


Mais um tipo de vegetação.



Vídeo!!



Mesma vegetação das cidades da Serra Gaúcha!



E finalizamos na floresta de Araucária.



Como os passeios eram bem longe um dos outros, pegamos Uber novamente, e fomos até o Estádio Beira Rio, localizado às margens do rio Guaíba. Logo na frente, esse letreiro.

.

E também uma estátua em homenagem ao jogador Fernandão, morto em um acidente de helicóptero.


Antes de fazermos a Visita Colorada, vimos o ônibus saindo com o time.



Você poderá escolher entre 3 opções diferentes de visita: 1- Visitar somente o estádio, 2- estádio e o museu juntos, 3- roteiro estendido que abrange mais partes do estádio que a visita normal não contempla.



Optamos pelo número 2 - museu e estádio. Primeiro vistamos o museu, (sem guia) onde possuem todos os troféus, melhores jogadores, campeonatos, entre outros... 



Com um jogo interativo, você escolhe um campeonato que o time foi campeão, fica posicionado no lugar indicado e aparece lá no meio com a taça e os jogadores.



Depois disso, no horário marcado a guia apareceu se apresentou, começou explicando a história do clube, aí fomos conduzidos até as arquibancadas inferiores.



Voltamos ao corredor que circula todo o estádio para visitar o Memorial Fernandão.



Saímos para fora do estádio, demos a volta e entramos na Sala de Imprensa...



...vestiário 



E no final, a área dos bancos de reservas e a borda do gramado.


Saindo de lá estava chovendo, então mais um Uber até o a Fundação Iberê Camargo que estava fechado, mas reúne obras do importante artista plástico gaúcho Iberê Camargo, além de abrigar exposições itinerantes. 


Último uber e último passeio do dia, fomos até o Parque Moinhos de Vento, um local de 11,50 hectares com opções de lazer como jogging, patinação, quadras de futebol, tênis, vôlei e aparelhos de ginástica. Para o público infantil, estão à disposição equipamentos de recreação artesanais, feitos de toras de eucalipto, e uma biblioteca infantil.
  

DIA 4 
Nosso voo sairia logo após o almoço, então aproveitamos a manhã para dar uma voltinha rápida próximo as redondezas do hotel.

Depois seguimos até a rodoviária, onde pegamos o trem e descemos na Estação aeroporto e embarcamos novamente, mas agora no Aeromóvel (um meio de transporte urbano automatizado em via elevada de concepção, e que utiliza um sistema de propulsão pneumática).


A viagem é muito rápida, dura em torno de 2 minutos e meio, uns 800 metros, aí já estávamos no aeroporto.


Nenhum comentário:

Postar um comentário