Páginas

terça-feira, 2 de janeiro de 2018

SANTA CATARINA (Balneário Camboriú - Bombinhas - Florianópolis - Garopaba - Blumenau)

SANTA CATARINA

Balneário Camboriú
Bombinhas
Florianópolis
Garopaba
Blumenau


Santa Catarina é o menor estado da região sul do país e também onde estão as mais belas praias do estado, em seus 500 km. Tem praia para todos os gostos e também a mais famosa festa da cerveja em Blumenau.

DIA 1 - BALNEÁRIO CAMBORIÚ
Passeio de Barco Capitão Gancho (FOTO), ao lado do teleférico na Orla da Praia Central. 

O passeio durou aproximadamente 01h30. O barco é grande, com sanitários e barzinho, muita música, piratas e o “Capitão Gancho”. Navegamos naquele mar maravilhoso podendo avistar toda a orla👇 da cidade com aquela imensidão de prédios e muito mar.

O barco passou atrás do Morro da Aguada, com o parque lá em cima. Do outro lado está a famosa Praia das Laranjeiras. O barco faz a parada para quem quiser desembarcar e ficar por ali até às 15h, horário em que o barco retorna em outro passeio.
Optamos por não desembarcar e voltar para o ponto de partida e seguir para o Parque Unipraias, na  Estação Barra Sul👇 (ao lado), para agora pegar o teleférico. 

Informações Unipraias👇
http://www.unipraias.com.br/estacao/estacao-barra-sul

espaço possui três pavimentos, com o térreo destinado ao estacionamento, escritórios da administração e balcão de atendimento ao turista. Logo no primeiro piso encontra-se a praça de alimentação, lojas e bilheteria, além dos serviços de caixa de coleta dos correios, caixa eletrônico e telefones públicos. E o segundo o embarque do teleférico.


No total são 47 cabines, interligando três estações: Estação Barra Sul - lado sul da orla de Balneário, Estação Mata Atlântica👇 - subindo até o Morro da Aguada.  



Estação Laranjeiras - descendo até a praia de Laranjeiras sendo o único do mundo a ligar duas praias.



Entramos na cabine que comporta até 06 passageiros e se desloca em uma velocidade de 16 km/h, mantendo uma distância de 97 metros entre cabines. O trajeto completo, de ida e volta, tem 3.250 metros e dura aproximadamente 30 minutos se for realizado sem paradas.

Descemos na Estação Mata Atlântica e decidimos nos aventurar em um brinquedo chamado "Youhooo". 
É uma espécie de trenó com capacidade para dois passageiros. Percorre 710 metros, com descidas e curvas em meio a mata atlântica, com vista as vezes da Praia Central, podendo chegar a uma velocidade de 60km/h. Rápido, não!? Mas existe um sistema de freios que permite ao condutor controlar a velocidade. Que adrenalina!!!! Sensação maravilhosa!!! E o visual exuberante!!!


Depois fomos conhecer a parte ambiental do Parque com seus 500 metros de passarelas em meio à mata, sinalizadas por placas indicativas sobre fauna e flora nativa. Ao longo do caminho existem 2 mirantes: Mirante Camboriú com a vista toda voltada para orla da Praia Central de Balneário e Mirante Laranjeiras com vista para o Oceano Atlântico e a Praia das Laranjeiras.


Ainda caminhando pela mata lá estava a Casa do Chocolate, famosa por abrigar o Coelhinho da Páscoa e o Papai Noel nas datas comemorativas e também um Oratório, que guarda a estátua de bronze de Santo Antônio da Aguada.


Descemos com o teleférico para Estação de Laranjeiras. É um momento único, pois até parece que vamos entrar no mar com a descida. A estação possui uma arquitetura em espiral, inspirada nas conchas do litoral brasileiro. Sendo assim considerada uma das mais bonitas de Santa Catarina.
Depois de um tempo na praia, retornamos de teleférico, bastou atravessar a rua e estávamos no Molhe da Barra Sul (FOTO), nada mais é que um quebra mar que ocupa uma área de 6 mil m². Por ali, há um playground infantil na forma de uma embarcação naufragada.



Seguimos agora de carro para o Pontal Norte da cidade, que é uma passarela de madeira com cerca de 500 metros, com mirantes, bancos para descanso e escadas de acesso à areia da praia.


A passarela foi construída sobre as pedras e dá acesso a Praia do Buraco (FOTO), espaçosa faixa de areia  grossa, possui mar agitado, com boas ondas, propício para a prática de surf. Cercada por mata nativa preservada. Por conta do mar agitado, no final dela encontra-se uma escada que dá acesso ao Morro do Careca que tem uma vista panorâmica da cidade. Ponto muito frequentado por atletas que praticam salto com Parapente.


DIA 2 - BALNEÁRIO CAMBURIÚ/BOMBINHAS
Fomos conhecer o Cristo Luz.👇 Localizado em um dos pontos mais altos de Balneário Camboriú, a 150 metros de altura, o monumento possui 33 metros de altura, 22 metros de largura e pesa 528 toneladas. Foi esculpido de forma artesanal em argamassa e construído em ferro, aço e cimento. Toda noite o Cristo fica iluminado e cada dia da semana com uma cor diferente.


Informações Cristo👇
http://www.cristoluz.com.br/




Agora, Praia dos Amores👇 fomos do outro lado do Morro do Careca, que não conseguimos chegar no dia anterior pela trilha/escada, devido ao mar que estava subindo muito.

De mar aberto, areia grossa, ondas fortes que atraem muitos surfistas, um belo calçadão para fazer caminhadas, mas não pense que a orla da praia é cheia de prédios como no centro de balneário. Muito pelo contrário, não existem prédios. Apenas casas de alto padrão e hotéis que dão acesso exclusivo à praia. 




Hora de pegar estrada direto para Bombinhas. Optamos seguir pela Interpraias, por ali iríamos conhecer o outro lado de Balneário, ou seja, todas as outras praias. Essa estrada fica entre as cidades de Balneário e Itapema numa extensão de 16,5 km e é considerada uma das mais bonitas do litoral de Santa Catarina. 
Nesse percurso estão 6 belas praias: Laranjeiras,

Taquarinhas - praticamente virgem, com areias grossas, águas cristalinas e ondas fortes, não possui construções nem acesso para veículos.



Taquaras - Ã© a praia mais extensa, de mar aberto, com areias grossas e águas cristalinas e possui uma população nativa de pescadores.





Pinho - muito famosa por ter sido a primeira praia de nudismo no Brasil conhecida internacionalmente também, e cercada por costões que impedem de ser visualizada e seu acesso é bastante controlado. 

Estaleiro - mar de águas azuis claríssimas, grandes ondas, areia grossa e vegetação nativa.




Estaleirinho - com areias grossas, águas límpidas e cristalinas, ondas não muito fortes, mas que afunda rapidamente e com uma população residente.





Chegando em Bombinhas, a primeira visita foi na  Praia do Mar de Fora👇. O acesso fica entre uma casa e outra, com passadiço de madeira até a areia. Não existe calçadão. O quintal das casas é praticamente a areia da praia.




Daí foi a vez da Praia do Mar de Dentro (FOTO). Acesso idêntico ao da Praia do Mar de Fora, sem calçadão, etc. 





Agora fomos para famosa Praia de Bombinhas👇, sua extensão é de 1,5 km, água super cristalina, possui uma ótima estrutura de hospedagem, comércio e gastronomia. Essa é uma das nossas praias favoritas!




De volta ao carro, seguimos para o Retiro dos Padres👇. Praia de acesso difícil, mas muito bonita. É pequena também. Apenas 200 m de extensão e é mais frequentada pelas pessoas que estão no camping que fica quase na areia da praia. 



Seguindo o passeio, Praia de Quatro Ilhas. Mar aberto, com ondas fortes, ... e como ventava. Final de tarde e estava frio. 

DIA 3 - FLORIANÓPOLIS 
Viajamos mais 75 km, passando por Porto Belo, Tijucas, Biguaçu, São José até chegar em Florianópolis também conhecida como ILHA DA MAGIA. 

A Ilha de Santa Catarina é dividida ou conhecida como:

Baia Norte: Praia da Barra do Sambaqui, Praia de Sambaqui, Praia de Santo Antonio de Lisboa, Praia do Cacupé

Baia Sul: Praia do Ribeirão da Ilha, Praia da Tapera

Norte da Ilha: Praia do Santinho, Praia dos Ingleses, Praia da Lagoinha, Praia Brava, Praia da Ponta das Canas, Praia da Cachoeira do Bom Jesus, Canasvieiras, Praia de Canajurê, Jurerê, Praia do Forte, Praia da Daniela, Praia do Pontal

Leste da Ilha: Praia da Barra da Lagoa, Praia da Joaquina, Praia do Mole, Praia da Galheta, Praia do Moçambique, Praia do Gravatá, Prainha, Vigia do Casqueiro

Sul da Ilha: Praia do Campeche, Praia do Morro das Pedras, Praia da Armação do Pântano do Sul, Praia do Matadeiro, Praia da Lagoinha do Leste, Praia do Pântano Sul, Praia dos Açores, Praia da Solidão, Praia do Saquinho, Praia de Naufragados

Centro: Lagoa da Conceição

Após deixar as mochilas no hotel, e como a Praia de Canasvieiras (FOTO), é bem pertinho, fomos até lá. É um dos balneários mais populosos e movimentados da Ilha. Mar tranquilo e de água quente, na verdade são "cidades independentes". Se estiver hospedado aqui, não precisará sair em busca de nada. Tem de tudo!! 


Florianópolis tem muitas praias, então decidimos ficar um pouquinho em cada (não em todas, por que não tínhamos tempo suficiente, mas em uma grande maioria). 

Vamos seguir então. Agora Praia da Lagoinha👇. Logo na entrada existe um portal dizendo “BEM VINDO À PRAIA LAGOINHA”. Pode-se entrar com o carro e estacionar. Do lado direito tem um rio que deságua no mar bem ali na frente, lugar espetacular, muito tranquilo, ... O mar também é bem tranquilo e quente. Areia finíssima e clarinha. É uma tradicional colônia de pescadores, protegida por costões.



Próxima parada, Praia Ponta das Canas👇. A extensão de areia é bem maior que a da praia anterior, e bem mais aberta. A praia estava vazia, apenas com pescadores e seus barcos. Falando em água, ali era azul meio esverdeado, mar calmo também.



Hora de conhecer a famosa Praia de Jurerê Internacional. Longe, escondida, ...
E lá estava, Jurerê. Nossa!!! O que era aquilo, que lugar incrível, sinceramente nem parecia Brasil. O bairro é bem planejado, arborizado e limpo, muitas mansões, carros importados e badalação, apelidada de "Miami Brasileira". 
Para chegar à praia acessamos por uma passarela de madeira, que nos conduziu até a areia. Poucas pessoas, mar calmo e morno durante o verão, areia branquinha com uma extensão de 3,2 km.

DIA 4 - GAROPABA
Decidimos seguir para Garopaba, à 96 km de Florianópolis. Pequena e com belas praias.

Logo na entrada estranhamos um pouco, pois a cidade em si parecia bem simples. Não demonstrava que seria legal. Seguindo, aos poucos tudo foi mudando. Surgiram ruas mais bonitas, asfaltadas, cheia de lojas, restaurantes, postos de gasolina, ... E, de repente, nos deparamos com a Praia de Garopaba👇, bem no centro da cidade. 

É a mais urbanizada e com maior infraestrutura em seus 2 km de extensão, ideal para esportes aquáticos, descanso e diversão.  


Um pouco mais para frente de onde estávamos, chegamos a Praça 21 de Abril, onde está localizada também a Igreja Matriz (FOTO), construída em 1846.


Seguindo, uma estrada que nos levou a Gruta Nossa Senhora das Lourdes.👇 Lugar super charmoso de frente para a Praia da Preguiça. Mais adiante, um bairro residencial, formado por lindas mansões e assim também começava um “costão”.



Fomos para o outro lado da cidade. Chegamos à Cachoeira do Macacu, que não deixa de ser outra opção de lazer. Além de uma cachoeira, oferece várias opções de diversão, mas paga-se um valor para entrar no Centro de lazer. Chegamos até lá, mas estava fechado.


Agora a vez era das dunas, da Praia de Siriú.👇 Mais ou menos 5 km de areia. Fica na estrada que liga Garopaba a Paulo Lopes. De fácil acesso. O local é um convite a prática de sundboard. 


Como no caminho tinha uma placa indicando Mirante e já estávamos por lá mesmo, fomos conhecer. Subimos então o Morro das Torres da Embratel👇 e a vista maravilhosa lá de cima. O acesso até o topo e todo pavimentado, proporcionando uma vista de 130 metros de altitude.


Outro local muito famoso, é a Praia do Rosa👇, localizada no município de Imbituba à 20 km de Garopaba, com direito a estrada de terra, calçamento diferenciado, e passando por diversas vilas.


Ótima opção para quem quer fugir das praias super movimentadas. Lembra uma antiga vila de pescadores que era antes de ser descoberta por surfistas. Entre agosto e setembro podem ser avistadas as baleias brancas, que alimentam seus filhotes nos primeiros meses de vida.

Voltamos para Florianópolis e fomos para Praça Hercílio Luz👇. Mirante situado na cabeceira insular da ponte e que proporciona uma vista fantástica. Por ali ainda, fica o Museu da Ponte e o Parque da Luz.

Seguindo para o centro passamos por👇

Mercado Municipal... 


...Largo da Alfândega...


...Praça Fernando Machado... 


...Praça XV de Novembro, Museu Histórico...👇



Catedral Metropolitana👇 e Igreja Nossa Senhora do Rosário





DIA 5 - FLORIANÓPOLIS
Começamos o dia pela Praia de Moçambique👇 é a mais extensa de Floripa, possui 8,5 km de areias claras e macias que garantem uma beleza natural intocada. Faz parte do Parque Florestal do Rio Vermelho, que reserva mais ou menos 400 mil m² de vegetação Pinus (espécie de pinheiro). As ondas são bem fortes, atraindo muitos surfistas.



Próxima parada Barra da Lagoa👇. Infraestrutura completa. Lá estava a praia de 8 km de extensão. O diferencial ali e uma ponte pênsil sobre o canal da Barra. 



Passando por ela, existe uma trilha que dá acesso a Prainha👇, cercada por rochas.


Retornando, caminhada pelo píer ali pelo canal da Barra, com um pequeno farol ao final. 


Mirante do Morro da Lagoa da Conceição👇, dali avista-se a própria lagoa e ao fundo a Praia da Joaquina.


Aí seguimos para Praia da Joaquina👇, bem famosa também e apelidada como "Joaca", praia de altas ondas e muito gelada. As dunas de lá são bem famosinhas e consideradas as melhores do sul do país. Vá até o aglomerado de rochas á esquerda e tenha uma vista completa do mar. Incrível!!! 




Agora era vez de conhecer o Praia do Campeche👇 com 3,5 km de extensão, vista para a Ilha do Campeche (tombada pelo Patrimônio Arqueológico e Paisagístico Nacional, abriga praias de águas transparentes, sítios arqueológicos, ...), muito frequentada por surfistas e kitesurfistas devido as características do mar e vento. Umas das praias mais ecléticas da ilha.



DIA 6 - FLORIANÓPOLIS/BLUMENAU
Fortaleza de São José da Ponta Grossa, localizada na Praia do Forte👇(ao final da Praia Jurerê Internacional, ao pé do morro).



Tombada como Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, aqui pudemos ver: Bateria de São Caetano, Quartel da Tropa, Casa do Comandante, Paiol de Pólvora, Capela de São José, Fonte de Água e a Praia do Forte. 




Seguimos viagem até Blumenau mais ou menos umas 2 horas e fomos conhecer a Vila Germânica👇 (onde acontecem todos os anos a festa da cerveja - Oktoberfest). 



Nossa viagem ainda não acabou, depois daqui viajamos mais 360 km até Ponta Grossa (Paraná), onde pernoitamos e seguimos para Tibagi - Cânion Guartelá (relato aqui 👇http://viajantesdemochila.blogspot.com.br/1980/01/tibagi-pr-parque-estadual-do-guartela.html)  

Nenhum comentário:

Postar um comentário