Páginas

segunda-feira, 1 de janeiro de 2018

📌EQUADOR

EQUADOR



NOME OFICIAL: República do Equador

ÁREA: 283.561 KM²

CAPITAL: Quito

POPULAÇÃO: 16,09 milhões de habitantes (estimativa 2018)

MOEDA: Dólar Americano

NACIONALIDADE: Equatoriana

GOVERNO: República Presidencialista

LOCALIZAÇÃO: Noroeste da América do Sul

PRINCIPAIS CIDADES: Guayaquil, Quito, Cuenca, Machala e Santo Domingo de los Colorados

CLIMA: Equatorial

IDIOMA: Espanhol

RELIGIÃO: Cristianismo 

IDH: Ãndice de desenvolvimento humano - Alto - 0,752



MAIS UM IMÃ PARA NOSSA COLEÇÃO:


--Quito-Saquisilí

📌EQUADOR📌
ECUADOR

Quito
Saquisilí









É um dos menores países da América do Sul, e que não faz fronteira com o Brasil. Além do território continental, o país possui também as Ilhas Galápagos, a cerca de 960 km do território continental, sendo o mais próximo daquelas ilhas. Seu território é cortado ao meio pela Linha do Equador. A paisagem é denominada pelos Andes, que atravessam o centro do país no sentido norte-sul, com altitudes que chegam aos 6.310 m no Vulcão Chimborazo.

DIA 1
Começamos nosso passeio pela Mitad del Mundo (FOTO). Lugar grande, mas com poucos turistas, é uma área de propriedade da prefeitura e o local é sede do "Museu Etnográfico Mitad del Mundo", um museu sobre a etnografia indígena do Equador. Tem muita coisa legal para se ver: museus dedicados a vários países do mundo, várias lojinhas de bugigangas, área para exposições e shows, etc.


Mas sem dúvida nenhuma, as duas maiores atrações são as demarcações por onde passa a linha do Equador... 


...e a torre aberta a visitação. 


vista da Torre. 


O dia estava nublado e ventava bastante, então resolvemos visitar o Museo de Sitio Inti-Ñan (FOTO), que fica mais ou menos a 200 metros dali. Já no hemisfério norte. Olha que legal! Não pagamos para entrar. É um museu a céu aberto com peças dos povos antigos da região.


DIA 2
Parque El Alameda (FOTO), no centro da cidade é um espaço verde público, com um pequeno lago, um gramado muito bem cuidado, árvores e um mirador muito bacana. 


Ali também está o Observatório Astronômico👇, fechado para visitação.


Em frente a esse parque, na Av. Gran Colombia está o Teatro Capitol, um belíssimo prédio. Depois caminhamos pela Calle Guayaquil. Vimos o Teatrum (FOTO) e a Iglesia de San Agustin.


Subimos pela Calle Chile até chegar à Plaza Grande, com o belo Monumento de la Independência e circundada por maravilhosas construções, como a Catedral Metropolitana de Quito (FOTO), Palácio Arzobispal e Palácio de Carondelet.


Daí, fomos para a Basílica La Merced. Lindíssima. Com muitas peças em ouro e um super altar. Impressionante. Os pontos turísticos são bem próximos um dos outros, então conseguimos fazer tudo à pé.😉 

O destino agora foi o Convento e Museo San Francisco, a Iglesia La Compania de Jesus e o belíssimo arco da Calle de La Ronda (FOTO) . Dali pudemos ver o El Panecillo, um parque em um morro, onde no alto existe uma estátua.


Seguimos para a La Basílica (Catedral)👇. Igreja Católica Romana, localizada no centro histórico de Quito. É a maior basílica neogótica das Américas.


Hora de conhecer o Parque Itchimbía (FOTO), no alto de um morro, há 2.910 metros de altura onde é possível ter uma vista de 360º graus da cidade, com estrada gratuita.😉


Mais um parque, agora 👉 Parque El Ejido (FOTO), está situado no centro da cidade, com características típicas do urbanismo europeu, layout assimétrico e caminhos com formas curvas que se encontram em um círculo no centro do terreno. Muito bacana, vale a pena conhecer!


Finalizamos o dia passando pelo Teatro Nacional, a Casa de La Cultura e o Parque El Arbolito. Muito bonito e com várias esculturas a céu aberto.


DIA 3 - Saquisilí
Embarcamos em uma van às 7h30m que nos levou até o Papagayo, onde chegamos 50 minutos depois. É uma pousada rural próxima de Quito. Se juntaram a nós outros turistas e todos embarcamos, agora, em um micro ônibus. Depois de outros 50 minutos de estrada, chegamos à periferia de uma pequena cidade chamada Saquisilí, onde visitamos um grande mercado à céu aberto (FOTO). Ali as pessoas negociavam animais, comida para esses e algumas mercadorias. Uns 20 minutos depois, de volta ao micro ônibus, seguimos para a região central dessa mesma cidadezinha, onde visitamos outro mercado. 


Uns 20 minutos depois, de volta ao micro ônibus, seguimos para a região central dessa mesma cidadezinha, onde visitamos outro mercado.👇 Mais ou menos 30 minutos depois partimos novamente.


A estrada é muito bonita, com lindíssimas paisagens, atravessando o Canion de Zumbahua (FOTO). Paramos para tirar fotos.📷📷


Finalmente, perto das 12h, paramos na entrada do parque. Minutos depois chegamos ao mirador que fica na parte de cima do Vulcão Quilotoa.  Ali existem algumas edificações, inclusive o restaurante onde almoçaríamos após o passeio à lagoa. Tinha chovido um pouquinho antes de chegarmos, a névoa era intensa e estava frio.
Sem perder tempo, iniciamos a descida. Dali até a lagoa seriam 3.800 metros de caminhada “morro abaixo”, por um caminho bem difícil de ser percorrido e que duraria 45 minutos.


Pronto! Chegamos a Lagoa Quilotoa (FOTO), localizado na cratera do extinto vulcão com o mesmo nome, que varia de cor dependendo do sol.


15 minutos depois e montamos na mula que iria nos conduzir “morro acima”. Opa. Claro que a subida assim ficou fácil.😃


DIA 4
Há uns 75 km de Quito, está o Parque Nacional Cotopaxi, com uma área de mais de 33 mil hectares e abrange as províncias de Pichincha, Cotopaxi e Napo, é aqui nesse parque que está localizado o vulcão ativo mais alto do mundo: o Cotopaxi.🌋🌋 Além dele tem cerca de 80 vulcões por todo parque.


9h chegamos à entrada do Parque Nacional Cotopaxi. Pagamos o ingresso e seguimos no micro ônibus por mais uns 30 minutos até um museu. Ali descemos, visitamos e recebemos explicações e orientações. Estava frio e com certeza iria aumentar, uma vez que iríamos subir mais e mais.

Seguimos de micro ônibus mais uma vez e as 11h estávamos no estacionamento à 4.500 metros acima do nível do mar, onde ficou o micro ônibus. O frio era intenso e tinha muita neve no chão. Sensacional!😉⛄



Nesse ponto se iniciou à caminhada montanha acima. Olha, no início até que foi fácil, mas conforme subia, a coisa foi complicando. O ar ficava mais e mais rarefeito. Começou a nevar. Tudo branco. O frio aumentava. Uau! Demais!

Depois de muito tempo caminhando chegamos ao refúgio P. José Ribas de Reina S. J, à 4.810 metros de altitude acima do nível do mar. Alto não!? Mas não é o ponto mais alto. O topo do Cotopaxi está a 5.897 metros acima do nível do mar.

Essa é uma construção de 2 pavimentos. A parte inferior dedicada as refeições com mesas e bancos, e a parte superior alojamento.

Era 12h. Estava hiper frio. Muita neve no chão e muita que caia.👇 


Mais ou menos 13h30min e iniciamos a descida do refúgio até o estacionamento. Se para subir demorou bastante, a descida foi super rápida. No estacionamento, já não nevava mais e os guias aguardavam com as bicicletas já preparadas para percurso até a Laguna Limpiopungo (FOTO). Tudo pronto. Partimos. Não há necessidade de ficar pedalando, já que o caminho é montanha abaixo. Um caminho lindo. Uma descida e tanto. Demais esse passeio!!😉😊


Iniciamos o caminho de volta. Chegamos em Quito já no início da noite debaixo de chuva.

DIA 5
O sol brilhava logo cedinho, e fomos para o Centro de Arte Contemporâneo. Somente por fora, pois ainda não estava aberto para visitação. Que pena!


Passava um pouco das 9h30min e seguimos pela Av. Diez de Diciembre, por uma caminhada de mais ou menos 2.5 km até o Parque General Julio Andrade (FOTO). Belo e bem cuidado parque, com caixas de som em postes tocando músicas muito agradáveis, árvores e lindo gramado, estátuas de pessoas, etc.


Seguimos pela Av. Diez de Diciembre, passamos pelo Palácio La Circasiana, que estava fechado para reforma. Fomos caminhando, contornamos à direita na Av. General Eloy Alfaro e pronto. Chegamos: Parque La Carolina (FOTO).


Localizado no 💗 financeiro e empresarial da cidade, é uma das áreas recreativas mais importantes da região. Ficamos um bom tempo aqui.

E assim finalizamos nossa trip por esse país que nos surpreendeu demais!!😊😉

Morungaba - SP



📌MORUNGABA📌
           





Município que faz parte do circuito das frutas e oferece várias opções de lazer com paisagens deslumbrantes de Colinas aos pés da Serra das Cabras. É também ponto de encontro de motociclistas.

DIA 1 
Saindo de Campinas, o caminho escolhido foi em direção ao distrito de Sousas. Logo cruzando o Rio Atibaia, contornando-se à direita, se tem acesso à margem do rio (FOTO).  



Mas o passeio não era ali.
Então, ao cruzar a ponte, é só contornar à esquerda e seguir em frente através da Rua Treze de Maio, que é asfaltada no início. Mas não demora muito para se atingir estrada de terra (FOTO). É uma região montanhosa, em meio às fazendas. 

Seguindo em frente, mas sempre que possível, mantendo-se à direita, chega-se ao distrito de Joaquim Egídio.👇 



Agora, o destino era Morungaba, através da estrada que passa pelo Pico das Cabras e observatório.👇 Mais uma vez a estrada se inicia asfaltada em uma parte mais ou menos plana e depois vira terra onde praticamente se inicia a subida. É um percurso muito bonito e tranquilo de se fazer.
Pouco antes de se chegar ao observatório, do lado direito da estrada tem um lugar interessante para se visitar, para quem gosta de trilhas e mirantes.
A entrada é paga, mas é baratinho. Vale à pena. Percorrendo as trilhas, chega-se à mirantes de onde é possível avistar ao longe cidades como Itatiba. 

Existe a possibilidade também de se praticar escalada e rapel em enormes pedras.


Seguindo pela estrada, chega-se ao Mirante de Morungaba. É o ponto alto da estrada e onde existe uma bifurcação, com placa indicativa dos caminhos à seguir. Mas reforçamos que para chegar à pequena cidade, deve-se manter à direita. A partir desse local, é somente descida.

Chegando na cidade, paramos na praça central, pertinho da Catedral (FOTO).



O próximo local a ser visitado foi a Gruta de Nossa Senhora de Lourdes...



...e na sequência, o Parque Ecológico (FOTO). Local grande, com um belo lago ao centro... 


...churrasqueiras, ponte pênsil (FOTO), dentre outros atrativos. Não tinha gente. O passeio é bem agradável.



Já no final da tarde, era hora de iniciar o retorno. No caminho ainda restou tempo para visitar o Cruzeiro👇 de Morungaba.



Um passeio agradável de um dia!!

Pirapora do Bom Jesus - SP

                                                                   



🔻PIRAPORA DO BOM JESUS🔻







Cidade faz parte do Roteiro dos Bandeirantes, Romeiros e do Caminho do Sol.🌞🌞
O nome da cidade: origem no tupi guarani, Pira = peixe e pora = pula; no ano de 1725 foi encontrada em uma pedra do rio uma imagem de madeira do Senhor Bom Jesus; então, juntando-se os nomes, surgiu o nome da cidade, atualmente com menos de 20 mil habitantes.

BATE E VOLTA
Mais um dia de passeio por alguma cidade não muito distante de Campinas. Mas qual?
Pensando um pouco, logo estava decidido: Pirapora do Bom Jesus.👇



Já na cidade, iniciamos o passeio: Praça Central e Igreja Matriz (FOTO). 



Aos fundos desta, no alto do morro, encontra-se o Santuário Cristocêntrico do Brasil.



Agora era atravessar a cidade até a Estrada dos Romeiros (FOTO)



Grata surpresa foi avistar logo na entrada da cidade grandes Ipês Roxos totalmente floridos (FOTO). Lindos!😃😃💗


Seguindo pela bela estradinha, mais alguns quilômetros e lá está Cabreúva. 

Final da tarde. Vamos embora?

Santana de Parnaíba, Rodovia Anhanguera e finalmente, Campinas!

Barra do Ribeira - SP


BARRA DO RIBEIRA







Barra do Ribeira é um povoado situado a 18 Km do centro de Iguape, no litoral sul do Estado de São Paulo. É ali onde o Rio Ribeira deságua no mar. Possui atrativos como a praia da Juréia (FOTO), Rio Suamirim e Rio Ribeira. Local bom para pesca, prática do surfe, passeios de barco e caiaque. É, também, a porta de entrada para o Costão da Juréia/ Estação Ecológica Juréia-Itatins.



Dia 01
Fizemos a travessia de balsa sentido Iguape (FOTO). Chegando lá, fomos aproveitar a tarde toda na praia.
Lugar muito tranquilo sem muitos turistas.



Dia 02
Acordamos cedo e fomos para a praia, caminhando. Tudo fica perto, inclusive a praia. As ruas são de terra. Uma tranquilidade só.



Algumas pessoas tentando um bronzeado quando o sol aparecia dentre as inúmeras nuvens, outras reunidas ouvindo músicas, famílias caminhando ao longo da praia, bicicletas que iam e vinham, etc.
Após o almoço, decidimos percorrer a praia de ponta a ponta. De vez em quando, cruzávamos com um ou outro veículo, fazendo o mesmo que nós.

Dia 03
Último dia de feriadão.
Acordamos e, mais praia.  
Antes do horário do almoço, fizemos nosso “check out” na pousada e seguimos para Iguape (FOTO). Almoço em Iguape e retorno à Campinas.
No começo, tudo lindo. Mas ali pelas imediações de Juquitiba, o trânsito se tornou um caos. Muito congestionamento.