Páginas

sexta-feira, 4 de janeiro de 1980

Uruguai



Malas prontas! Viagem a vista! Dessa vez, o destino era outro país da América do Sul. O Uruguai. Um país colonizado por europeus, bem diferente do Chile, já visitado anteriormente. Montevideo é a cidade latino-americana com a maior qualidade de vida e se encontra entre as 30 cidades mais seguras do mundo. Além de ser a capital e maior cidade do Uruguai. Como surgiu a idéia? Mais uma vez, caminhando por shopping. Na verdade, o Rodoshopping de Paulínia, cidade do ladinho de Campinas. Uma das lojas era uma agência de turismo; na vitrine, estavam expostas varias sugestões de viagens, uma delas era o Uruguai. Legal isso. Óbvio, maiores informações não poderiam ser deixadas de lado. A atendente disse que retornaria uma ligação para passar valores de pacotes. Retornou com um pacote que não agradou. Primeiro porque é importante a liberdade de horários para fazer passeios livremente, o que normalmente foge do convencional e também pelo valor, algo caro para o habitual, já que custaria US$ 1,100.00 por pessoa. Caro, não!? Tô acostumado a coisas baratas e boas. Eheheheh! Pois bem: em Campinas, o ideal foi procurar por uma conhecida que trabalhava em uma agência de viagens e demonstrar a vontade de ir para o Uruguai. Os vôos não estavam de acordo com o necessário, porém tinham preços bons para hotéis e também o traslado do aeroporto e city tour. No caso, o melhor foi o London Palace Hotel, na Rua Rio Negro, 1278 – Centro - Montevidéo. Esta rua fica no centro da cidade, próxima a muitos pontos turísticos e de lazer onde se poderia ir andando. Dessa forma, a viagem ficou por volta de US$ 800.00 (por pessoa).

Campinas, sexta-feira.
Às 15h00 embarque no ônibus direto de Campinas para o aeroporto de Congonhas, em São Paulo.


O vôo estava previsto para às 20h16! Era véspera de Carnaval, e claro, a estrada cheia e com risco de congestionamento. Por precaução, sair cedo era uma boa. O trânsito "carregado" foi inevitável, mas nada de tão preocupante, pois tinha muito tempo até a partida. E por volta das 18h00 já andava pelo aeroporto, e com tempo suficiente para descer do ônibus, fazer todos os trâmites para o embarque, etc. Foi possível uma bela caminhada pelo aeroporto, com direito a inúmeras fotos. 

Check-in e aguardar até o horário do embarque. O aeroporto estava cheio. Foi uma idéia muito boa sair bem antes do horário do vôo. Esse partiu atrasado: 15 minutos. Depois de duas horas chegamos à Porto Alegre, no aeroporto Salgado Filho. A partida para Montevidéu seria à 01h20, tempo suficiente para caminhar por esse aeroporto também, a fim de conhecer e tirar algumas fotos, claro! O vôo que levaria para o Uruguai também atrasou. O cansaço já era forte. Finalmente, o “check in”. Mais um pouco aguardando na sala de espera para embarcar e seguir para a aeronave. Apesar do cansaço, cada momento estava sendo curtido ao máximo. É muito bom fazer algo de que se gosta muito! Por maior que fosse o atraso, por maior que o cansaço, tudo valia a pena. A adrenalina estava altíssima!!! Por volta de 03h00 chegamos ao Aeroporto Internacional de Carrasco Puerta Del Sur, em Montevidéu. Um belo, moderno e espaçoso aeroporto. Claro, pelo horário não havia muito movimento. Já com a mochila, ao sair, lá estava o motorista de taxi previamente contratado, que levaria ao London Palace Hotel. Numa terra desconhecida não seria bom "dar sopa pro azar"! Passamos por uns bairros distantes e tive a impressão de estar na periferia de qualquer grande cidade brasileira. A contar o sono, o cansaço e a adrenalina, não achei muito atraente. A primeira vista, achei que não gostaria muito do lugar. Chegamos ao hotel, muito aconchegante, quarto limpo e arejado. Legal. O hotel fica bem localizado, a 100 metros da principal avenida da capital, a Avenida 18 de Julio. Rodeado de galerias, centros comerciais, praças, etc. Hora de banho e cama! Pois a intenção era começar cedo com os passeios!


Montevideo, sábado.

Já de pé, não muito cedo, mas o suficiente para aproveitar bem o dia. Após um maravilhoso café da manhã, e com o costumeiro lanchinho para “mais tarde”, tudo começaria. Aproximadamente 9h30, segui para conhecer Montevidéu. Por ser uma cidade plana, seria fácil para caminhar pelas ruas e avenidas movimentadas. Saindo do hotel, segui até a Av. 18 de Julio. Ali chegando, rumei para a direita, para conhecer a Plaza Cagancha. E claro, poucos passos e fotos. Mais alguns passos e, fotos! Muitas fotos! Até esse momento já tinha tirado 80 fotos! No percurso, pode-se observar muitos carros de modelos similares aos que têm no Brasil, com poucas diferenças. As mesmas marcas. Também havia modelos diferentes, já que o comércio internacional no Uruguai é livre de impostos. Algo interessante: há muitos carros antigos, ou batidos e apenas desamassados. Daí veio à cabeça que não compensaria o conserto, devido a altos valores. Muitos ônibus coletivos e taxis, que são pretos com teto na cor amarela. Prédios antigos e muitas galerias, pequenas lojas de lembrancinhas, lojas de roupas, calçados, doces e principalmente alfajores! Diga-se de passagem, alfajor é muito gostoso, não!? Por questões comerciais, é fácil trocar moeda. R$ por US$, e outros. As ruas são policiadas com guardas e cães. Tudo seguro. Nada de violência ou roubo. As pessoas andam tranquilamente nas ruas. Saí todas as noites sem preocupações e caminhei sem maiores problemas. 


A cidade estava muito movimentada! Muitos turistas. Muitos ônibus de turismo em frente aos hotéis. Para conhecer agora, foi o Palácio de los Tribunales. Retornando a Av. 18 de Julio e seguindo para a Plaza Ingeniero Juan P. Fabini. Ali, no subsolo, fica o centro municipal de exposições. Essa praça é linda, com muitas flores, uma grande fonte em estilo grego e vários chafarizes ao longo de sua extensão. Na avenida, os bares colocam suas mesas com cadeiras para os frequentadores do lado de fora, proporcionando algo muito prazeroso. Seguindo pela Av. 18 de Julio para a Plaza Independência, limite entre a Cidade Velha e a área central, que antigamente se conhecia como Cidade Nova. Bem no centro da praça encontra-se a grande estátua de José Gervásio Artigas; o Uruguai valoriza muito os combatentes de guerra que lutaram para a independência do país. Na maioria dos locais vemos algo que nos remete a isto. Na esquina desta praça, do outro lado da rua há o Teatro Solis, muito simples, porém imponente. Infelizmente estava em reforma, mas foi possível ver depois pela TV. Lindo! Esta praça é muito grande e bonita. Rodeada por belos e antigos edifícios, que sem dúvida, valem ser apreciados. Por isso, por ali foi legal ficar um bom tempo. Esta região já se encontra perto do porto e é bem movimentada. E é nessa praça que está um enorme monumento, chamado Puerta de La Ciudadela (FOTO).




Continuando, então, caminhando. Daí, pela Peatonal Sarandi, que é um calçadão para pedestres. Muita gente, lojas variadas, cafés, bares, etc. Já passava do meio-dia e meia! A decisão foi almoçar. Decidimos então ir conhecer o Puerto de Montevideo, bem pertinho dali. Seguimos andando até chegar ao porto, que fica situado num local conhecido como Ciudad Vieja. No porto, nada mais natural do que monumentos em homenagem aos combatentes. Neste caso, o homenageado através de uma grande estátua foi Garibaldi, que foi chefe das forças navais de 1842 a 1848! Essa estátua fica na Plaza Manuel Herrera y Obes. É de se imaginar que como todo porto, a região é um pouco depreciada e não tão bem cuidada, se comparada a beleza de outras como o centro. Mas nem por isso perde sua beleza, os prédios antigos, originais em estilo europeu fazem os olhos saltarem... Acredito que a maioria dos turistas não passam por ali; mas faz parte da viagem conhecer toda a cidade. 

Andar como se fosse morador do local e apreciar os detalhes que normalmente fogem dos pontos turísticos, também. Este é o nosso segredo! Tiramos muitas fotos ali. Como já era de se esperar não perdemos tempo: monumentos, casas, das partes conservadas de séculos passados, incluindo carros das décadas de 50 e 60 que por ali transitavam. Não podia deixar de fora do passeio o Mercado Del Puerto, algo como o mercado municipal de São Paulo. Não havia muito movimento, mas deu para conhecer. E foi por ali que foi feita "uma boquinha", já que a fome era grande. Depois, o retorno ao hotel, pois aconteceria um city tour logo mais. O caminho de volta foi pela rua 25 de Maio, passando pelo Banco La Caja Obrera, pertencente ao Banco Central do Uruguai e que é chamado de fundo de recuperação do fundo bancário; Banco do Brasil, Banco de La Nacion Argentina, Plaza Constitucion (Calle Sarandi esquina com Juan Carlos Gomez), com um imponente chafariz e feirinha de artesanato. Nesta praça, pessoas com trajes típicos fazendo apresentações e também um “Zorro” garantido risadas! Já no hotel, tudo preparado para o city tour que se iniciaria as 14h. Lotação quase completa, pois, pois a empresa fez confusão com nomes, e fui o último a embarcar... detalhes!!! 

O ônibus seguiu pela Av. 18 de Julio, a principal de Montevidéu. Essa data é muito importante para o Brasil. Olha aqui os fatos históricos: 1824 – os primeiros alemães chegam para colonizar o Rio Grande do Sul; 1841 – D. Pedro II coroado Imperador; 1971 – última partida de Pelé; 1968 – fundação da Intel nos EUA; 1918 – nascimento de Nelson Mandela na África do Sul; e para o Uruguai em 1930 é declarada a constituição uruguaia! 

Começamos o passeio pelo Palácio Legislativo, situado na Plaza Plebiscito 30/11/1980. É uma magnífica construção, por dentro revestido por mármore e granito. Começou a ser construído em 1908 e teve sua inauguração em 1925, comemorando o centenário da Declaração da Independência Uruguaia. A entrada principal é o “vestíbulo de honra”, há grandes quadros nacionais nas paredes e colunas de granito vermelho. Após, há o salão dos Passos Perdidos, totalmente revestido de mármores e granitos nacionais que foram extraídos de Maldonado e Canelones, dois municípios/estados próximos a Montevidéu. Este salão divide o prédio, de um lado está a Câmara dos Senadores e de outro a dos Deputados, com lindos vitrais em suas entradas. No meio deste salão há um circulo em granito preto e sobre ele estão as Atas originais da declaração da independência. Seguindo, encontramos o salão de festas do palácio. O teto é folhado a ouro! O mobiliário e os lustres foram feitos em bronze e cristal de Murano (http://pt.wikipedia.org/wiki/Cristal_murano); nem preciso dizer que é lindo!!! O chão é coberto com um tapete turco, enorme, feito a mão e sendo uma peça só. Há muitas pinturas de artistas uruguaios retratando as batalhas....nunca vi algo parecido. Muito rico não só em detalhes, mas também em historia. A Biblioteca é algo para se parar e admirar!!! Segundo o guia, tem mais 250.000 volumes e costuma ficar aberta ao publico em horários específicos. Não abre aos sábados e como era sábado, ... 

Passamos pela Torre de Telecomunicações. Depois seguimos para o Estádio Centenário e Monumento a La Carreta no Parque J. Batlle e Ordoñhez que ficam bem próximos um do outro. Vale comentar aqui, que no hotel perguntamos sobre as partidas de futebol, pois vimos muitos locais com TVs e rádios ligados em jogos, e o recepcionista nos falou da popularidade entre as pessoas também por conta dos baixos valores dos ingressos (cerca de R$ 4,00 o ingresso) e que fazem parte dos programas familiares de Montevidéu. Seguimos por diversos bairros, admirando belas casas com seus maravilhosos jardins. Descemos na Plaza De La Armada. Um local muito bonito, no bairro Buceo repleto de árvores, palmeiras imperiais, com avenidas largas, grandes casas com jardins exuberantes e muitos prédios modernos. Neste bairro nobre está o Montevideo Shopping, o WTC Montevideo e WTC Free Zone. Passamos pela Rambla Armênia e retornamos para a região central. Fomos então para a Catedral Metropolitana, na Calle Sarandi. Passamos novamente pela Plaza Matriz com seu artesanato e conhecemos o Templo Inglês. Continuamos pela Calle Sarandi e chegamos a Plaza Independencia, onde já tínhamos estado. Porém veja a importância de um city tour: nesta praça fica o mausoléu de Artigas (monumento à José Gervásio Artigas, um dos heróis da independência) e é rodeada pelo Cabildo de Montevidéo, o prédio da Presidência, o Palácio Salvo, algo que não sabíamos. Final da tarde e nosso city tour havia terminado. Conhecemos muitos lugares. Durante o passeio ficamos sabendo que na segunda-feira teria outro “city tour”, para a cidade de Colonia Del Sacramento. Como o dia estaria livre, mais um passeio contratado. De volta ao hotel, descanso por um tempinho e, a famosa saidinha para jantar e passear um pouco a noite. Só pelo dia de hoje, valeu a viagem!

Montevideo, domingo.

Logo cedo, de pé, como é de praxe. Lanchinho e aguardar pelo guia para mais um dia de passeio, que seria em Punta Del Leste. No caminho passamos por locais mágicos!!! Paisagens dignas de pinturas!! Dentre essas pinturas está o Argentino Hotel, um prédio antigo e imponente. Muito bonito. O dia estava um pouco nublado, dando pinta de chuva mais tarde. Bem, saímos de Montevideo e seguimos por uma boa estrada, pedagiada. Passamos pelas cidades de Atlândida e a litorânea Piriápolis, que também fazem parte do passeio. Em Piriápolis fomos ao Cerro San Antonio, de onde se tem uma vista panorâmica de toda a região. Metade da manhã e seguimos caminho. 


A parada agora foi em Punta Ballena, as margens do Oceano Atlântico. Um morro com uma linda vista e onde está a Casa Pueblo. Criada pelo artista plástico Carlos Páez Vilaró, a casa é toda branca e com formas arredondadas. Funciona ali um museu. Fiquei do lado de fora. Tinha muita gente, a visita seria muito rápida e talvez apreciar a vista seria interessante. Desse ponto era possível avistar Punta Del este. Nesse momento, a temperatura estava baixa, com muito vento e chuviscos. Então, agora, era seguir para Punta Del Leste! É uma cidade situada no distrito de Maldonado. Considerada um dos balneários mais luxuosos do mundo e também um dos mais charmosos da América Latina, tendo a opção de praias no Oceano Atlântico e também do Rio da Plata. Pode-se ver suntuosas casas típicas de balneários, modernos edifícios de grande altura, um porto com grande infraestrutura e capacidade de desembarque, locais comerciais de importantes marcas, restaurantes, pubs, ... Ali também está o famoso Cassino Conrad, muito bonito diga-se de passagem!! Que cidade! Faz jus ao status de bonita e charmosa!!! Um lugar mais lindo que o outro. Nossa!!! É de encher os olhos!! Claro que ali os dedos até cansaram de tanto tirar fotos!!! 

O ônibus entrou na cidade e nos levou para conhecer o luxuoso bairro de Beverlly Hills, com suas magníficas mansões. Descemos e começamos nossa caminhada. De posse de um mapinha da cidade, o primeiro local visitado foi o Mirante. Seguindo, então para a marina que na verdade é um porto, chamado Nuestra Señora de La Candelaria. Ali, um leão-marinho, e também albatrozes, formando uma cena magnífica! Hora do almoço. Os preços para almoçar não eram muito convidativos, porém de posse do lanchinho, tudo ficou mais fácil. Continuando, pelas ruas e avenidas dessa bela cidade, conhecendo praças e apreciando as construções antigas e também modernas. Muitas lojas de marcas famosas. Não era o objetivo, mas quem tivesse interesse iria se esbaldar com os preços da Tommy Hilfiger, DKNY e outras lojas desse padrão. Voltando para a orla, lá estava a Playa Mansa. Tempo nublado, mas que de forma alguma atrapalhou o passeio. Após um tempo por ali, foi seguir por ruas até chegar a Playa El Emir. Caminhar então, para a Playa Brava (FOTO), onde está o monumento “Mão do Afogado”, uma escultura de dedos que remete a uma mão saindo da areia da praia.




Ponto turístico e muito visitado da cidade. E a caminhada tinha que continuar. Rodoviária e enorme Casino Del Uruguay, com muitos lindos taxis estacionados na frente. Os taxis aqui são da marca Mercedes Benz e de cor bege. Na sequência, o Conrad. Ali é possível entrar, mas não é permitido circular por muitas áreas. Pode-se andar pelo saguão do hotel e ir até a entrada do cassino. Dentro tinham expostos carros luxuosíssimos, sem contar os carros dos frequentadores do lado externo. Tinha até uma Ferrari Vermelha com placas de Curitiba! Já era final da tarde  e retornamos! Muito cansado, por isso uma bela relaxada no ônibus foi inevitável. A viagem levaria cerca de 01h30. 

Chegamos em Montevideo e como ainda restava o finalzinho da tarde ensolarada, a pedida agora era ir até a Rambla Sur (espécie de calçadão) e apreciar o pôr-do-sol, um espetáculo lindo naquele local! O regresso ao hotel já no início da noite e, após um banho, o jantar. O local escolhido foi a Cerveceria La Passiva (Av. 18 de Julio x Av. Ejido). Chivito! Típico prato uruguaio!!!! Na verdade é um lanche, bem servido, com filé bovino, alface, tomate, e junto ao prato vem batatas fritas! Depois deu para assistir uma apresentação de tango na Plaza Fabini. Uma circulada por ali e o retorno ao hotel, pois no dia seguinte teria o passio a Colonia Del Sacramento! Até aqui, quase 500 fotos!


Montevideo, segunda-feira.

Após um maravilhoso café da manhã no hotel, iniciou-se o city tour para Colonia Del Sacramento. Essa cidade tem origem na antiga cidade de Colônia do Santíssimo Sacramento, fundada há 331 anos por Manuel Lobo, a mando do Império Português no século XVII. A área onde localiza-se a fundação portuguesa, hoje faz parte do Centro Histórico, reconhecido pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade. A estrada segue por planícies com fazendas de gado, com casas aconchegantes, que inspiram tranquilidade. Passamos pelo Lago Santa Luzia e paramos na cidade de Colonia Suiza. Descemos em uma praça grande e obviamente bem arborizada, com relógio de flores e um monumento bem ao meio em homenagem aos pioneiros. Por ali ficamos um pouco, o suficiente para tirar fotos, apreciar o local e comprar pilhas para a máquina fotográfica! Sim comprar pilhas, porque a máquina estava necessitando de "força"! Depois o ônibus seguiu sentido Colonia Del Sacramento. 


Outra parada que fizemos para “esticar as pernas” foi num sitio as margens da rodovia, chamado Arenas Granja Colônia. Sua entrada parecia de novela, com palmeiras imperiais dos dois lados que seguem até chegar próximo a casa. Uma curiosidade é que lá tem coleção de muitas coisas: vidros de perfume, latinhas, chaveiros, canecas, aviões em miniatura, e uma incrível coleção de lápis de todo tipo, desde grande até pequeno, do colorido aos de uma cor só.... Tinha até coleção de carros antigos! Aliás, enferrujados! Tinha também parte de uma locomotiva a vapor! Local muito interessante também!! Mais uma vez no ônibus e lá fomos nós. Um pouco mais de estrada e lá estávamos: Colonia Del sacramento. A próxima parada foi numa espécie de coliseu! Sim um coliseu na America do Sul, é a Plaza Del Toros da cidade, onde infelizmente não é permitida a entrada. É uma construção muito antiga e que corre o risco de desabamento. Uma pena porque parecia ser bem interessante por dentro! 

A próxima parada foi em nosso destino principal. Fomos direto para a Fortaleza Del Colonia. Trata-se de uma fortaleza construída a mando de D. Pedro II, em 1679, junto ao Rio da Plata, e de onde se avista Buenos Aires. Nesta época, Colonia era terra de Portugal e sendo assim toda a região tem características lusitanas. Inclusive algumas casas populares conservadas nas ruas que ficam dentro da fortaleza. Nem preciso dizer que a cidade é uma maravilha, não! Tanto que é considerada Patrimônio Histórico pela UNESCO. Seguimos pelas ruas de pedra, com casas rudimentares, algo totalmente novo para nós!!! De pensar que aquela estrutura toda tinha mais de 300 anos e quantas histórias vividas ali!!! Tudo conservado pelo tempo.... Entramos pelo Porton del Campo e seguimos até a Plaza Mayor, de lá fomos até o Farol (FOTO), bem de frente ficam as ruínas do convento de San Francisco, que foi construído na mesma época que a fortaleza, porém destruída por um incêndio anos depois.




Fotos e mais fotos. Depois continuamos a andar pelas ruas, até chegar ao Paseo San Gabriel. Pode-se definir como uma orla contornando o Rio da Plata. Hora do lanche, que aconteceu em uma das lindas praças do local. Na verdade, almoço. E o passeio continuou: mais caminhada pelas ruas, cruzando o Porton Del Campo, algo como aqueles grandes portões em estilo medieval, para “explorar” a cidade de Colonia! Depois de conhecer a parte histórica, o guia nos liberou para conhecer a cidade de Colônia! Andar, andar e andar! Mas valeu a pena cada metro caminhado!! A cidade é bem bonita, gostosa para caminhar. Bem simples. Foi tranquilo ir caminhando até chegar ao Shopping Colonia. E claro, sempre tirando fotos. O shopping não é grande, mas bonito. Algo que se pode notar foi a grande quantidade de carros, e muitos antigos e sem conservação. Em Montevideo a situação era a mesma. Aproximadamente metade da tarde e deveria regressar a Montevideo. Isso durou cerca de 2 horas.

Montevideo, terça-feira.


E precisa dizer que acordar o acordar cedo aconteceu novamente? Eheheheh! Isso para aproveitar ao máximo o último dia em Montevidéu!! Foi o dia de maior caminhada! Todo o roteiro, ou quase todo, melhor dizendo, feito com o city tour, agora foi feito a pé! O bom é que não tinha horário, então podia ir devagar, apreciando tudo e tirando fotos. O início se deu pela Av. 18 de Julio em direção ao estádio Centenário, conhecendo a avenida e as imediações. No caminho, o Santuário Eucarístico, Plaza de los Treinta y Tres e Universidad de La Republica. Daí a Bld. Gar. Artigas. Larga, bonita e movimentada. Nessa avenida a visita aconteceu à Plaza Tres Cruces e depois, o shopping de mesmo nome. Seguindo, o Estádio Centenário. Muito grande. Não era permitida a entrada para visitação., mas a vista por fora já valeu a pena. Ali, junto ao estádio, está o velódromo municipal, onde para surpresa, acontecia uma prova de ciclismo. Que sorte. Hora do almoço. E deu-se sequência a caminhada, passando pelo campo de golfe da cidade e depois o Shopping Punta Carretas. Maravilhoso! 


Já se aproximava da metade da tarde e a caminhada continuava. O local visitado agora foi o Parque Rodo, no alto de um morro. Dali para a Playa Ramirez.
Uma praia no Rio da Plata. É uma das praias de Montevideo! Muita gente, sol, ... Claro, bom proveito do local! Daí era descansar por um bom tempo ali pela praia, antes de continuar o passeio. E isso foi por boa parte da tarde, curtindo o movimento e a beleza do lugar. Muito convidativo! Então, era chegada a hora de seguir caminho. Rambla República Argentina, passando em frente à Sede Del Mercosur e chegando até ao Parque de mesmo nome. Como o por do sol era maravilhoso ali, aproveitando às margens do Rio da Plata, foi mais oportunidade para isso. Houve tempo para uma conversa com uma senhora viúva brasileira que morava na cidade desde sua juventude e contou muita coisa boa dali. Na volta para o hotel, ainda foi possível ver a Iglesia de los Ingleses, que é muito bonita. Assim encerrava-se mais um dia muito proveitoso nessa bela cidade.

Montevideo, quarta-feira.

Último dia. Acordar cedo e deixar as coisas arrumadas, pois assim poderia sair e retornar apenas para um banho e ir para o aeroporto. Café da manhã e rua!! Sendo feriado (quarta-feira de cinzas), as ruas estavam vazias, e então foi possível aproveitar bem!!! Teatro Solis.

Banco Del Uruguay, Porto, Mercado Municipal, Comando General de La Armada, .... Assim foi até 13h! Depois aeroporto! O vôo estava previsto para 16h40 e não atrasou! Descemos em Porto Alegre e ainda estava claro! Dali para São Paulo, somente às 20h15. Então era aguardar e com aquele gostinho de quero mais! O Uruguai é um país fascinante, e que vale muito a pena conhecer!!! As pessoas são agradáveis. A cultura, as construções e política, também são muito interessantes!!!! Embarque para São Paulo, e pouco mais de 22h chegávamos a São Paulo. Dali, de ônibus, pouco menos de 2h direto para Campinas! Meia noite e enfim em casa! Ah, esqueci de mencionar! Durante a compra das passagens de avião, faltou observar que a taxa de embarque do percurso de volta não estava inclusa. Sendo assim, logo foi preciso encontrar dinheiro na mochila e nos bolsos, já que não tinha cartão de crédito. A quantia foi exata! Muita emoção! Depois, o dinheirinho (Reais) estava contadinho para o ônibus de volta! Uhhhh!

Nenhum comentário:

Postar um comentário