Páginas

sexta-feira, 4 de janeiro de 1980

Santos - SP

A Roubada... em Santos



           
        É agosto, o tempo extremamente seco e quente, chegando muitas vezes no nível de deserto, segundo os noticiários...
   Bem, aqui em Campinas não está diferente, e eis que acompanhando as previsões do tempo, pela TV e também internet, ia dar praia!
     Todos os sites e previsões meteorológicas dizem que chuva somente após a segunda quinzena de Setembro! E como tá quente!
      Sexta-feira livre! É, mesmo trabalhando, isso acontece as vezes. E ia perder a oportunidade de fazer disso um feriadão? Claro que não!
     Sendo assim, com todos os fatores a favor, era passar três dias maravilhosos em Santos! Imagine: praia, sol e calor! Quer melhor combinação?!!?! Oh beleza!
             
    Sexta-feira de manhã, "pé na estrada!". Por volta das 8h. O sol já estava estalando! Ui! Oh sorte a minha! Ficaria numa pousada pertinho da praia, no Gonzaga, que belezura!
   Tudo legal! Tempo quente, se confirmando a previsão; São Paulo, via Rodoanel. “Trocentos” pedágios (quatro na verdade), mas é tudo para facilitar a vida do motorista!
       Ah tá!
       Mas voltando à viagem....
      Túneis para descer a serra! Aquela sensação nos ouvidos, ...mas tudo bem! Afinal, vou passar três dias na praia! Iup!!!  
       O último túnel ficou para trás... engraçado...o sol também tinha ficado para trás.... hum....
    E lá estava: Santos. Nublado, mas até que quente (otimismo mantido, mesmo tendo visto pessoas com blusa de frio nas ruas)....
      Eis a Pousada Veraneio, na Rua Quintino Bocaiúva, número 43....(é bom não esquecer o endereço). O atendente foi o Sr. Costa, muito prestativo ao telefone quando liguei de véspera. Isso gerou confiança. Tinha apenas dois quartos disponíveis. Um em frente a recepção, ou melhor, na recepção e outro no refeitório...(refeitório este que não se tinha serventia).... o Sr. Costa garantiu que o quarto da recepção era melhor, não tinha barulho pois a pousada era muito calma. Ótimo, era neste! Quartinho básico, normal, meio maloca é verdade, mas bonzinho a princípio. Então, mochila no quarto, trajes praianos e era hora de caminhar e depois, almoçar. Assim o sol poderia "dar as caras de vez" e o dia esquentar. Fácil! Era só salgar o “corpito”.
    Almoço no mesmo restaurante/ bar (Birita’s Grill) que assisti a final do campeonato paulista 2010 (Santos x Santo André). Comidinha boa e barata.
   Após o almoço, calçadão à beira mar. Sentado em um dos bancos e apreciando o mar.... daí veio a idéia de ir até a pousada, e depois voltar para praia a fim de aproveitar o solzinho que aparecia meio tímido. E assim foi feito. De volta a praia, o sol ainda estava tímido, porém de sunga, dava para aproveitar o sol e a água.
      Não demorou muito para o vento se tornar o rei da praia e o sol que já estava tímido, ficar ainda mais. Havia alguns banhistas na praia, porém estavam enrolados em cangas ou de roupa e estavam ali apenas para apreciar a paisagem e passar algumas horas.
        O vento estava frio, mas resisti de sunga!! Por volta de 15h, sem chance: bermuda, camiseta e retorno à pousada. Lá descansaria, para que a noite fosse jantar.
       Na pousada o merecido descanso com um pouco de TV. E como não poderia deixar de ser, Law and Order. Muito bom. Assim que terminou o episódio, por volta de 19h, uma volta pela região.
        O que me surpreendeu bastante foi o movimento nesse horário. E algo que me espantou ainda mais foram os preços dos sapatos e a quantidade de lojas calçadistas que havia. Todas bem próximas umas das outras! A título de comparação, em Campinas o preço era tranquilamente o dobro mais caro. Que coisa, não!?   
         O jantar foi no Shopping Miramar. Giraffa’s!
       No retorno à pousada, os planos para o dia seguinte: se no dia o tempo não melhorasse, retorno para Campinas. E olhando para o céu, tive certeza que voltaria logo cedo: estava frio, e não havia estrelas!
       De volta à pousada, descanço e um filme antigo chamado Viajantes do Tempo. Para finalizar, um momento legal: vinho e o Lucky de Pimenta Mexicana!!!!! Ui! Arde só de pensar! Mas é muito bom!
         O vinho estava ótimo! Enquanto isso, a recepção da pousada mais parecia um buffet infantil! Crianças vindas não sei de onde e também não sei pra quê, corriam e gritavam o tempo todo, batendo os pés nas paredes.
    Acho que você deve estar se perguntando: ué, a pousada não era tranquila??? Pois é, também achava, até descobrir o que viria depois: alguém com som do carro super alto, tocando música eletrônica (era só o que faltava!) Parecia que estava dentro da pousada. Isso porque já era de madrugada! Alguém já ouviu falar da lei do silêncio?!!? Pois é, naquela pousada não!
         Era criança gritando, mãe chamando a atenção, som alto!
     Sem contar a limpeza do chão! Dr. Bactéria ia adorar! Na primeira pisada com pés descalços no chão, já deu para perceber que esse não era o ponto forte da pousada... formou-se uma crosta de sujeira em nosso pé!
      Parecia areia, algo natural para uma pousada na praia, porém vendo melhor, percebi que não era areia, e sim cimento! Pois a pousada alugava quartos para empreiteiras de mão-de-obra na construção civil, aliás a maioria dos hóspedes eram funcionários das obras. Eita. Então já viu; chegavam com as roupas sujas que usaram o dia todo na obra e trocavam-se nos quartos, que não viam pelo menos uma vassoura a um bom tempo!!!
         Mas enfim, após uma longa noite, foi possível dormir um pouco e acordar disposto a decidir ficar ou não ali mais um pouco. Tomaria o café, e decidiria conforme estivesse o tempo.
            Disse bem, tomaria café, uma possibilidade.... se tivesse! Pois não havia café da manhã! Isso porque a diária incluía o café! Não havia café, não havia ninguém na recepção, não havia nada!
            Tinha um cartaz na recepção que dizia, “café das 7h as 9h15”. As 7h fui ver se já havia café, e nada....Achei que por ser sábado o café começaria mais tarde. Então, 7h30, sai novamente do quarto para ver, e a mesma cena se repetiu. Aliás, não a mesma porque os outros hospedes estavam todos indo trabalhar e deixando a chave na recepção, em cima de uma mesa, pois não havia ninguém para receber.
            Aproveitei para dar uma volta pelas ruas e olhar o tempo, nada havia mudado, estava frio, ventando, nada convidativo para praia. Aquele sol, calor e tudo mais... ninguém sabia onde estava, porque a previsão do tempo dizia sol forte e calor intenso! Hummmm.. Chega a ser engraçado.... Como a meteorologia podia dizer uma sandice dessas?!?  Era só descer a serra que ia ver que o mapa meteorológico estava errado, alias completamente errado!!!
            Ao voltar à pousada, nada de café. A espera se deu até às 8h; quem sabe estavam atrasados!?  
            Enquanto isso, um capítulo de BONANZA na TV; muito legal, passava na TV aberta. Bem, ao finalizar a sessão nostalgia, o café-da-manhã, mas não na pousada, claro! Pois lá não tinha mesmo! Foi em uma padaria na rua de cima. Leite achocolatado e pão de queijo. No trajeto de volta, uma procurada por outras pousadas, porque definitivamente naquela não tinha como dormir. Foram 3 pesquisadas.
            De volta a pousada apenas para pegar as coisas, pois com aquele tempo não havia condições de aproveitar a praia. 10h, e o Sr. Costa, o mesmo que atendeu quando da chegada, estava na recepção. Um senhorzinho bacana, mas que trabalha num péssimo lugar. Mochila às costas e cai fora.  
             Um passeio de carro por Santos. Embaré, a Praia do José Menino. Lá, contatos de outras pousadas para  posteriormente verificar. Pelo menos a primeira vista todas pareciam melhor do que a que tinha ficado. Depois, São Vicente e, após, o destino foi Campinas.
            A subida para São Paulo foi tranquila, túneis.... e qual não foi a surpresa quando já em São Bernardo do Campo, o sol! Quente e radiante! Algo que chamou a atenção foi o fluxo de carro descendo para Santos, talvez com o pensamento: sem chuva + tempo quente = praia. Vão “dar com os burros n’água”.
             O caminho seria pelo rodoanel, mas segui direto por dentro de São Paulo. Mas foi bom também, pois deu para verificar as diferentes distâncias e tempos de viagem. Nesse caso, semelhantes.
            Em Campinas, enfim, tudo bem, a se lamentar apenas a roubada que foram os dois dias; e como não podia deixar de ser, sabe qual foi à previsão do tempo para o restante do fim de semana? Tempo quente e seco para todo estado de São Paulo! Bom para Praia!

Nenhum comentário:

Postar um comentário