Páginas

sexta-feira, 4 de janeiro de 1980

Pedra Grande - SP




PEDRA GRANDE

SÁBADO
            Havia sido uma semana difícil, o trabalho estava complicado, o tempo estava quente, fazer algo diferente no fim de semana para desestressar era necessário.
            Atibaia, subir até a Pedra Grande. Isso mesmo. Esse seria um bom passeio!
            Sol aparecendo o que foi um bom sinal. Saída de Campinas às 7h, rumo à Atibaia. Viagem tranquila. Chegando na cidade, foi um pouco difícil para encontrar o lugar exato de início das trilhas, mas pergunta aqui e ali, e tudo resolvido.
            Fica dentro de um pequeno “condomínio”, onde tem algumas casas bonitas até.
            Logo no "pé do morro" onde fica a Pedra Grande, digamos assim, existe uma placa (foto), que por sinal estava caída em meio ao mato e, ali, foi feita  escolha por qual trilha seria a subida.



           
           Um pouco antes chegou uma turma de rapazes que seguiram pela Trilha da Mangueira.
            Para não seguir com eles, outra trilha foi escolhida. Assim implantaria um rítmo de subida que não dependeria deles, além de poder tirar fotos e apreciar a paisagem sem atropelamentos.  Trilha dos Monges, nível médio a difícil com 2,7 km e cerca de 2h30 de percurso. Era cerca de 8h30. Depois de várias fotos, "pé na trilha!".
            Início agradável de caminhada. Tudo levava a crer que por volta das 11h atingiria a Pedra Grande. Em algumas partes era realmente mais difícil, mas a maioria do percurso ainda estava fácil.
            Em determinado momento, a trilha estava mais complicada de seguir, pois não havia “trilha” e não havia outro caminho. Porém a subida devida continuar.
            E assim foi, subindo, subindo, subindo, ... pelo mato (nada de trilha). Muitas paradas para descansar. Depois de muito subir, próximo das 12h, uma parada em uma pedra para comer bolachas e descansar. Uns 20 min depois, continua o percurso.
            Subindo, subindo, ... , afinal faltava pouco agora e não fazia sentido retornar sem alcançar o objetivo.
            Nada de ver a tal da Pedra Grande. Daí foi fácil entender que não seguia por trilha alguma e estava praticamente perdido. Dali dava para ver Atibaia pequenininha lá embaixo. Meio do mato, subindo a montanha, e nada de ver outras pessoas, trilhas ou mesmo a Pedra Grande. Ao longe vozes de pessoas. Em algum momento até dava para ver pessoas, mas estavam bem longe.
            Seguindo (subindo) por rumo. Tinha que subir para possivelmente chegar ao objetivo (a Pedra Grande), se é que conseguiria. A última das opções, era o retorno pelo mesmo caminho que até então percorrido.
            Após muito subir e já bem cansado, foi possível atingir uma parte alta. Ali haviam algumas pedras, sendo uma delas um pouco grande, o que já deu para "brincar" e chamar de Pedra Grande mesmo! Mas para surpresa, ao escalar esta pedra, lá estava a Pedra Grande ao longe. Na verdade estava tão cansado que não queria escalar essa pedra. Mas fui e vi que realmente mais à frente estava a Pedra Grande.
            Com um pouco de dificuldade pelo cansaço, a subida prosseguiu. Atingi um platô na base da Pedra Grande e subi a mesma. Já passava das 12h.
            Pronto! Finalmente. Que imagem maravilhosa! Dava para ver toda a cidade de Atibaia, as estradas, o Hotel Bourbon pequenino lá de cima!
            Haviam muitos carros e pessoas apreciando a visão e o local, outras com seus para-glyders (foto) e asas-delta.




           
           Ali aconteceu um bate papo com um casal de Barueri que também estava deslumbrado com o local. Tinham subido de carro até lá.
           Mas ainda faltava mais uma etapa: mais uma subida até o topo (foto). Mais um pouco de esforço e subida e, .... Uhhhhhhh! O ponto mais alto da aventura!





            Aproximadamente 13h. Descanso, alimentação e beber água à vontade. Por ali foram gastos uns 40min. O cansaço era grande e as pernas doiam um pouco, mas ainda tinha a descida para fazer.
           Algumas pessoas estavam montando algo na parte mais baixa da pedra, onde estavam carros e a maioria das pessoas. Uma parada nesse local para ver o que estava acontecendo foi preciso. Eheheheh! Ali, aconteceria a chegada de alguma corrida. Uma pessoa que confirmou isso e indicou para descer pela trilha demarcada para a “corrida de subida da Pedra Grande”. Não podia demorar a descer, pois haveria essa competição com subida pela trilha usaria para descer. Sem contar que uma grande demora durante a descida poderia se complicar, pois poderia escurecer mesmo antes de chegar a parte debaixo da trilha.
            A descida foi muito difícil, a “trilha” foi horrível e se comparada ao percurso de subida, realmente muito pior. Na verdade nem parecia uma trilha: muito irregular, com buracos; bem penosa a descida.
            Já na metade da descida, pode-se ouvir a largada da corrida que aconteceu lá embaixo. Bateu certo desespero, já que os atletas começariam a subir. Um monte de gente e não atrapalharia a difícil descida. Isso poderia atrasar e dificultar ainda mais. Algumas pessoas também descendo. Mas passavam rapidinho. Descendo, foi possível cruzar por duas vezes um riachinho, com pequena queda d’água em uma das vezes. Em ambas as vezes, parada para descansar e beber água (que estava na mochila). E para surpresa, não é que tinha "trilheiros" subindo!? Uau. Que coragem. E ainda mais aquela hora da tarde.  Por fim quando, lá embaixo, aos pés da montanha os participantes da corrida íam passando.
            E finalmente, às 4h30,  chegava ao carro e fim da aventura!
Nesse percurso de descida a visão já não era bonita.
            Imediatamente, a decisão foi de retornar para Campinas. Pequena parada em Atibaia, apenas para tomar sorvete de uva!
            A visão lá da Pedra Grande é linda, o platô muito bacana. As “trilhas” são horríveis, as pessoas em seus depoimentos na internet quando mencionam as maravilhas das trilhas, passeio gostoso e tudo mais, não conhecem realmente uma trilha, como as de Monte Verde/ MG, por exemplo.
            Por isso tudo, a única forma de voltarmos a Pedra Grande é de carro,  claro!!!!




Nenhum comentário:

Postar um comentário