Páginas

sexta-feira, 4 de janeiro de 1980

Pedra Bela - SP

PEDRA BELA

Para onde ir dessa vez? Um final de semana daqueles, começando na sexta-feira e terminando no domingo. Excelente para uma viagem, mas a vontade não era ir tão longe de Campinas. Eis que pesquisando, surgiu Pedra Bela. É um pequeno município paulista com cerca de 6.000 habitantes, situado no nordeste do Estado de São Paulo, na região administrativa de Campinas e na região do governo de Bragança Paulista. A cidade está localizada na Serra da Mantiqueira, a uma altitude média de 1.100 metros. É isso! Escolha feita!

Sexta-feira
Logo cedo, “pé na estrada”. 100 km à frente e pouco mais de uma hora de viagem, lá estava a cidade de Pedra Bela. Pequena e em região montanhosa. Não é turística e pela região existem bons passeios, como cachoeiras, por exemplo.
A pousada escolhida ficava ainda na estrada, um pouco antes de se chegar a cidade. A decisão foi passar direto e já ir conhecendo o que de bom a região oferecia. A primeira parada foi em uma gruta onde estava a imagem de Nossa Senhora Aparecida. É o Santuário.
Seguindo, foi fácil entender o porque do nome da cidade ser Pedra Bela. Existe uma enorme pedra e em seu cume, lá está uma pequena igreja (FOTO). E que local fantástico. Dali a vista panorâmica era inigualável. E não foi difícil ficar por um bom tempo contemplando o horizonte.




Hora do almoço. Claro, a fome era grande e só restava se alimentar. Poucos restaurantes, mas a comida era boa e barata.
Na parte da tarde, a procura foi por algum rio e de preferência, uma cachoeira. Fácil para achar. E o restante da tarde se deu assim: descanso no riozinho e sua queda d’água.
Bem, antes da noite cair, retorno a cidade, parando para jantar. Na verdade, comer um belo e grande lanche em uma lanchonete em frente à pracinha com sua igreja matriz. E logo em seguido para a pousada.



Sábado
Não tão cedo, acordei e como a preguiça era grande, a pedida foi caminhar um pouco conhecendo a pousada, que era uma chácara.
Pronto. Hora de seguir em busca de rios e quedas d'água, já que o sol já se fazia presente e com uma certa intensidade.
As quedas d'água (FOTO) estão por ali, fácil de achá-las através de placas indicativas e em último caso, pedindo informações para as pessoas.




E assim foi mais um dia de muitas descobertas, entre rios e cachoeiras.
E a rotina do dia anterior, se fez presente novamente. Lanche, um pouco de pracinha movimentada e, direto para a pousada.



Domingo
Bem, os planos por ali já tinham se encerrado. Portanto, dando sequência, era pegar o caminho de volta para Campinas. Mas ainda faltava uma passada e parada na Cachoeira dos Pretos, em Joanópolis. E essa cachoeira possui queda livre de 154 metros.
O nome "dos Pretos" tem origem do sobrenome da família "Pretos" que era dona das terras onde está a cachoeira. O local conta com uma infraestrutura turística completa como arvorismo, rapel, bóia-cross, restaurantes, lanchonetes e artesanato.
E é aqui também que nasce o Rio Piracicaba (FOTO).


Lugar muito bacana. Vale a pena ser visitado.
Final da tarde de um belo domingo de sol, de volta à Campinas

Nenhum comentário:

Postar um comentário