Páginas

sexta-feira, 4 de janeiro de 1980

Monte Alegre do Sul - SP



MONTE ALEGRE DO SUL

Sábado
Monte Alegre do Sul (foto) é uma pequena estância hidromineral aos pés da Serra da Mantiqueira, no Vale do Rio Camanducaia. Está entre Bragança Paulista, Serra Negra, Amparo, Socorro e Pinhalzinho, no Estado de São Paulo.


Há tempos o plano era conhecer a cidade, que é bem conhecida pelas plantações de morango e a festa dessa fruta que acontece em Julho e/ ou Agosto todos os anos. Porém o que chamou a atenção foi a possibilidade de ter um final de semana super agradável, com lazer e descanso, sem ser necessário passar muito tempo na estrada. E assim foi.
Pesquisas em pousadas e encontrada uma a gosto: Pousada dos Marques, (Rua Hermelindo Rodrigues Bueno 136 - Distrito das Mostardas). Uma pousada tranquila, muito gostosa que veio de encontro ao procurado. Local simples, tranquilo, limpo, barato e com estrutura até para cozinhar caso necessário.
O início da viagem se deu logo pela manhã, mais ou menos 7h. Passear e viajar sempre desfrutando ao máximo de tudo é muito bom. Foram 65km percorridos, que separam essa cidade de Campinas em 1h30m. E como de costume, já na chegada, aproveitando o que foi possível.
A começar, a subida ao Mirante do Cruzeiro (Cristo Redentor), com escultura datada de 01/08/1912; a subida é formada pelas 14 estações que simbolizam a Via Crucis e seus 872m podem ser feitos de carro. Várias fotos tiradas, pois de lá tem se uma bela vista de toda a cidade.
Depois de algum tempo aproveitando o bom tempo com sol fraco da manhã e a maravilhosa vista, era hora de descer e seguir para o centro da cidade, parando na praça central, onde está a igreja matriz (foto). Na verdade Santuário do Senhor Bom Jesus, que é o único santuário da região, inaugurando em 1919, ao fundo o morro do Cristo. Do lado da igreja está o acesso ao alto do morro, que se faz através de escadaria e trilha. Mais uma espécie de Via Crucis, com alguns pontos de parada. Claro, a subida foi inevitável. E o percurso de subida é bem cansativo. Mas vale a pena. Ao final, existe uma pequena capela e uma enorme cruz em forma de monumento.



É, já que a subida foi bem cansativa e sobre sol que agora já era forte, nada mais justo que alguns bons momentos de descanso.
10h30m, e era hora de descer e seguir pelo centro. Logo pode-se avistar a Câmara Municipal (foto), situada em uma pequena e antiga construção muito bonita e bem cuidada, pela fonte canalizada em uma rua com muitas hortênsias e casas em estilo colonial, sem contar aquelas que são mais modernas, mas com um toque interiorano, com muros baixos e bem arejadas. Algo leve e sereno contrastando com nosso dia-a-dia em grande cidade.


Após isso, quase 12h, era hora do "check in" na pousada. Como a fome já era grande, o negócio era se alimentar. E foi ali pertinho da pousada mesmo que tinha um bom restaurante, simples e com comida boa e barata.  
Almoço finalizado, e agora era continuar o passeio. A busca então, seria por cachoeiras, já que o sol forte indicava que esse seria um bom divertimento.
Na busca, depois de dicas e seguindo por estradinha da região, algumas cachoeiras, até escolher uma para um merecido banho e aproveitar à tarde.
A escolha foi por uma no Distrito dos Mostardas, bem frequentada pelos moradores e visitantes, tinha até uma faixa de areia para tomar um sol, mas a opção foi por ficar nas pedras, em meio a água e bem perto da queda d’água.  
E por ali foi a distração até 15h30m mais ou menos. Bem, mais o negócio não é passear, conhecer e aproveitar bastante? Sim, sim!!! Então, iniciou-se a busca por “novos ares”. Dali e, seguindo inicialmente por uma estradinha de terra, segui em direção à Socorro. Lá pela metade do caminho a estrada acabou em uma pavimentada. 40 minutos “viajando” num percurso muito bonito em meio a natureza e fazendas, lá estava: Socorro.
Uma bela volta pela cidade para reconhecimento do local e, claro, rumo ao ponto turístico "maior" da cidade: o Morro do Cristo. Lugar muito legal. Algumas fotos. Já era final da tarde e melhor retornar para Monte Alegre do Sul, deixando essa cidade para ser visitada (e bem) em uma próxima oportunidade.
Já de volta, à noite, 20h aproximadamente, era hora de jantar. Isso aconteceu no bar da Fonte. Um local super agradável, muito movimentado e que lembra muito os bares tradicionais das grandes cidades. Fica bem pertinho da praça central.
Depois, um passeio por ali, que claro, é onde tudo acontece. E lógico, o movimento era grande. A missa acontecendo na igreja matriz, pessoas, fazendo compras em algumas lojinhas ao redor da praça e vários grupinhos de pessoas de todas as idades conversando. Ouvi a expressão “furar o queijo”, que seria algo como trapacear.
Mas não muito tarde, a opção vou retornar para a pousada, já que no dia seguinte o plano era acordar cedo.
Domingo
E assim o foi feito. Após o café da manhã e com a bagagem, "check out" para continuar aproveitando a cidade e redondezas nesse belo domingo. Segui por uma estradinha local onde havia muitas cachoeiras e pessoas pescando ao longo do rio. A parada em uma dessas cachoeiras foi obrigatória (foto).  Mais um belo dia de sol: banho de cachoeira, com direito a mais fotos.


E a manhã se resumiu a esse local. Perto do horário do almoço, de volta à cidade. Novamente o almoço aconteceu no restaurante do dia anterior.
No início da tarde, o último passeio aconteceu pelo Parque Municipal (foto), com uma boa área verde, algumas árvores e uma lagoa povoada por patos e cisnes. Moradores pescam nesse local. A lagoa é ótima para o domingo à tarde, com bancos para sentar e apreciar a paisagem, pássaros, enfim, local super agradável para a família.


Já passava das 16h quando, infelizmente, a estada por ali chegava ao fim.
Pela distância de Campinas e pelas atrações, vale fazer um passeio de um dia a Monte Alegre do Sul! Além de muito gostoso é muito relaxante também, com suas belezas naturais a poucas horas do frenesi da grande cidade!

Nenhum comentário:

Postar um comentário