P√°ginas

quarta-feira, 2 de janeiro de 1980

EQUADOR (Quito - Saquisilí)

ūüďĆEQUADORūüďĆ
ECUADOR

Quito
Saquisilí







√Č um dos menores pa√≠ses da Am√©rica do Sul, e que n√£o faz fronteira com o Brasil. Al√©m do territ√≥rio continental, o pa√≠s possui tamb√©m as Ilhas Gal√°pagos, a cerca de 960 km do territ√≥rio continental, sendo o mais pr√≥ximo daquelas ilhas. Seu territ√≥rio √© cortado ao meio pela Linha do Equador. A paisagem √© denominada pelos Andes, que atravessam o centro do pa√≠s no sentido norte-sul, com altitudes que chegam aos 6.310 m no Vulc√£o Chimborazo.

DIA 1 - QUITO
Come√ßamos nosso passeio pela Mitad del Mundo (FOTO). Lugar grande, mas com poucos turistas, √© uma √°rea de propriedade da prefeitura e o local √© sede do "Museu Etnogr√°fico Mitad del Mundo", um museu sobre a etnografia ind√≠gena do Equador. Tem muita coisa legal para se ver: museus dedicados a v√°rios pa√≠ses do mundo, v√°rias lojinhas de bugigangas, √°rea para exposi√ß√Ķes e shows, etc.


Mas sem d√ļvida nenhuma, as duas maiores atra√ß√Ķes s√£o as demarca√ß√Ķes por onde passa a linha do Equador... 


...e a torre aberta a visita√ß√£o. 


vista da Torre. 


O dia estava nublado e ventava bastante, ent√£o resolvemos visitar o Museo de Sitio Inti-√Ďan (FOTO), que fica mais ou menos a 200 metros dali. J√° no hemisf√©rio norte. Olha que legal! N√£o pagamos para entrar. √Č um museu a c√©u aberto com pe√ßas dos povos antigos da regi√£o.


DIA 2 - SAQUISIL√ć
Embarcamos em uma van √†s 7h30m que nos levou at√© o Papagayo, onde chegamos 50 minutos depois. √Č uma pousada rural pr√≥xima de Quito. Se juntaram a n√≥s outros turistas e todos embarcamos, agora, em um micro √īnibus. Depois de outros 50 minutos de estrada, chegamos √† periferia de uma pequena cidade chamada Saquisil√≠, onde visitamos um grande mercado √† c√©u aberto (FOTO). Ali as pessoas negociavam animais, comida para esses e algumas mercadorias. Uns 20 minutos depois, de volta ao micro √īnibus, seguimos para a regi√£o central dessa mesma cidadezinha, onde visitamos outro mercado. 


Uns 20 minutos depois, de volta ao micro √īnibus, seguimos para a regi√£o central dessa mesma cidadezinha, onde visitamos outro mercado.ūüĎá Mais ou menos 30 minutos depois partimos novamente.


A estrada √© muito bonita, com lind√≠ssimas paisagens, atravessando o Canion de Zumbahua (FOTO). Paramos para tirar fotos.ūüď∑ūüď∑


Finalmente, perto das 12h, paramos na entrada do parque. Minutos depois chegamos ao mirador que fica na parte de cima do Vulc√£o Quilotoa.  Ali existem algumas edifica√ß√Ķes, inclusive o restaurante onde almo√ßar√≠amos ap√≥s o passeio √† lagoa. Tinha chovido um pouquinho antes de chegarmos, a n√©voa era intensa e estava frio.
Sem perder tempo, iniciamos a descida. Dali at√© a lagoa seriam 3.800 metros de caminhada “morro abaixo”, por um caminho bem dif√≠cil de ser percorrido e que duraria 45 minutos.


Pronto! Chegamos a Lagoa Quilotoa (FOTO), localizado na cratera do extinto vulc√£o com o mesmo nome, que varia de cor dependendo do sol.


15 minutos depois e montamos na mula que iria nos conduzir “morro acima”. Opa. Claro que a subida assim ficou f√°cil.ūüėÉ


Passava um pouco das 15h30m quando iniciamos nosso retorno à Quito.

DIA 3 - QUITO
Parque El Alameda (FOTO), no centro da cidade √© um espa√ßo verde p√ļblico, com um pequeno lago, um gramado muito bem cuidado, √°rvores e um mirador muito bacana. 


Ali tamb√©m est√° o Observat√≥rio Astron√īmicoūüĎá, fechado para visita√ß√£o.


Em frente a esse parque, na Av. Gran Colombia est√° o Teatro Capitol, um bel√≠ssimo pr√©dio. Depois caminhamos pela Calle Guayaquil. Vimos o Teatrum (FOTO) e a Iglesia de San Agustin.


Subimos pela Calle Chile at√© chegar √† Plaza Grande, com o belo Monumento de la Independ√™ncia e circundada por maravilhosas constru√ß√Ķes, como a Catedral Metropolitana de Quito (FOTO), Pal√°cio Arzobispal e Pal√°cio de Carondelet.


Da√≠, fomos para a Bas√≠lica La Merced. Lind√≠ssima. Com muitas pe√ßas em ouro e um super altar. Impressionante. Os pontos tur√≠sticos s√£o bem pr√≥ximos um dos outros, ent√£o conseguimos fazer tudo √† p√©.ūüėČ 

O destino agora foi o Convento e Museo San Francisco, a Iglesia La Compania de Jesus e o bel√≠ssimo arco da Calle de La Ronda (FOTO) . Dali pudemos ver o El Panecillo, um parque em um morro, onde no alto existe uma est√°tua.


Seguimos para a La Bas√≠lica (Catedral)ūüĎá. Igreja Cat√≥lica Romana, localizada no centro hist√≥rico de Quito. √Č a maior bas√≠lica neog√≥tica das Am√©ricas.


Hora de conhecer o Parque Itchimb√≠a (FOTO), no alto de um morro, h√° 2.910 metros de altura onde √© poss√≠vel ter uma vista de 360¬ļ graus da cidade, com estrada gratuita.ūüėČ


Mais um parque, agora ūüĎČ Parque El Ejido (FOTO), est√° situado no centro da cidade, com caracter√≠sticas t√≠picas do urbanismo europeu, layout assim√©trico e caminhos com formas curvas que se encontram em um c√≠rculo no centro do terreno. Muito bacana, vale a pena conhecer!


Finalizamos o dia passando pelo Teatro Nacional, a Casa de La Cultura e o Parque El Arbolito. Muito bonito e com várias esculturas a céu aberto.


DIA 4 - QUITO
H√° uns 75 km de Quito, est√° o Parque Nacional Cotopaxi, com uma √°rea de mais de 33 mil hectares e abrange as prov√≠ncias de Pichincha, Cotopaxi e Napo, √© aqui nesse parque que est√° localizado o vulc√£o ativo mais alto do mundo: o Cotopaxi.ūüĆčūüĆč Al√©m dele tem cerca de 80 vulc√Ķes por todo parque.


9h chegamos √† entrada do Parque Nacional Cotopaxi. Pagamos o ingresso e seguimos no micro √īnibus por mais uns 30 minutos at√© um museu. Ali descemos, visitamos e recebemos explica√ß√Ķes e orienta√ß√Ķes. Estava frio e com certeza iria aumentar, uma vez que ir√≠amos subir mais e mais.

Seguimos de micro √īnibus mais uma vez e as 11h est√°vamos no estacionamento √† 4.500 metros acima do n√≠vel do mar, onde ficou o micro √īnibus. O frio era intenso e tinha muita neve no ch√£o. Sensacional!ūüėČ⛄



Nesse ponto se iniciou à caminhada montanha acima. Olha, no início até que foi fácil, mas conforme subia, a coisa foi complicando. O ar ficava mais e mais rarefeito. Começou a nevar. Tudo branco. O frio aumentava. Uau! Demais!

Depois de muito tempo caminhando chegamos ao ref√ļgio P. Jos√© Ribas de Reina S. J, √† 4.810 metros de altitude acima do n√≠vel do mar. Alto n√£o!? Mas n√£o √© o ponto mais alto. O topo do Cotopaxi est√° a 5.897 metros acima do n√≠vel do mar.

Essa √© uma constru√ß√£o de 2 pavimentos. A parte inferior dedicada as refei√ß√Ķes com mesas e bancos, e a parte superior alojamento.

Era 12h. Estava hiper frio. Muita neve no ch√£o e muita que caia.ūüĎá 


Mais ou menos 13h30min e iniciamos a descida do ref√ļgio at√© o estacionamento. Se para subir demorou bastante, a descida foi super r√°pida. No estacionamento, j√° n√£o nevava mais e os guias aguardavam com as bicicletas j√° preparadas para percurso at√© a Laguna Limpiopungo (FOTO). Tudo pronto. Partimos. N√£o h√° necessidade de ficar pedalando, j√° que o caminho √© montanha abaixo. Um caminho lindo. Uma descida e tanto. Demais esse passeio!!ūüėČūüėä


Iniciamos o caminho de volta. Chegamos em Quito já no início da noite debaixo de chuva.

DIA 5 - QUITO
O sol brilhava logo cedinho, e fomos para o Centro de Arte Contempor√Ęneo. Somente por fora, pois ainda n√£o estava aberto para visita√ß√£o. Que pena!


Passava um pouco das 9h30min e seguimos pela Av. Diez de Diciembre, por uma caminhada de mais ou menos 2.5 km at√© o Parque General Julio Andrade (FOTO). Belo e bem cuidado parque, com caixas de som em postes tocando m√ļsicas muito agrad√°veis, √°rvores e lindo gramado, est√°tuas de pessoas, etc.


Seguimos pela Av. Diez de Diciembre, passamos pelo Palácio La Circasiana, que estava fechado para reforma. Fomos caminhando, contornamos à direita na Av. General Eloy Alfaro e pronto. Chegamos: Parque La Carolina (FOTO).


Localizado no ūüíó financeiro e empresarial da cidade, √© uma das √°reas recreativas mais importantes da regi√£o. Ficamos um bom tempo aqui.

E assim finalizamos nossa trip por esse pa√≠s que nos surpreendeu demais!!ūüėäūüėČ

Nenhum coment√°rio:

Postar um coment√°rio