Páginas

sexta-feira, 4 de janeiro de 1980

Campos do Jordão - SP

         
    
Viajar para Campos do Jordão em pleno inverno, pico do turismo seria um pouco complicado. Então "a pedida era" ir em Agosto, final de temporada, onde se poderia aproveitar a cidade ainda com temperaturas baixas.
Consegui uma pousada boa e barata, que atendia as expectativas. Trata-se da Pousada Vila Nova, na Rua Antônio Martinho Ferreira Filho, 70 - Vila Nova.

SÁBADO
Saída logo cedo, para aproveitar bem o dia.  Por volta das 9h chegava à cidade. Antes mesmo de se instalar na Pousada, resolvi conhecer a Gruta dos Crioulos (FOTO). É uma monumental pedra de 700 m2, com um diâmetro de 30 m de altura e 20 m de profundidade, meio arredondada e côncava podendo abrigar inúmeras pessoas em seu interior.



Reza a lenda que a gruta ganhou esse nome, porque os escravos fugidos de fazendas das regiões vizinhas, nela se refugiavam para escaparem dos capitães do mato. 
Como chegar: siga sentido a Vila Capivari, o Centro Turístico da cidade. Chegando a Vila Jaguaribe, faça o contorno à esquerda em frente ao Supermercado Roma, seguindo sentido a Fábrica de Chocolates Araucária. Passando a ponte localizada próximo ao Estádio Municipal, siga a rua à esquerda, conhecida como Estrada da Campista. Nesta estrada há placas que indicam o caminho até a Gruta dos Crioulos.
Por ali dá para se ficar um bom tempo, explorando a área e tirando muitas fotos. Depois, a região central, à procura da pousada para deixar as coisas e voltar a conhecer a cidade.
Estava na pousada já perto das 11h. Atendimento bom, tudo limpo e organizado. Foi só se instalar e sair para continuar passeando. Agora, caminhar pela cidade.
Avenida Dr. Januário Miraglia (FOTO) e a pé em direção a Vila Capivari. Caminhada tranquila, aproveitando bem aquele final de manhã super gostoso. Vários lugares para se apreciar e claro, muitas fotos sendo tiradas. 


Mais ou menos 12h e era hora de almoçar ali pela avenida mesmo.
Depois do almoço, segue a caminhada, ainda em direção a Vila Capivari. O clima estava muito agradável. Friozinho suficiente para se estar agasalhado e manter a cidade em ritmo de inverno.
 Fotos do bondinho, conhecido como “camarão”, que faz o trajeto entre as três principais vilas: Capivari, Abernéssia e Jaguaribe. Atrai muitas pessoas.
Cheguei até o início da Avenida Dr. Emílio Lang, já na Vila Capivari. Metade da tarde e o movimento de turistas era grande. Caminhada pela região. Desde o início da caminhada até aqui foram mais ou menos 4 kms. Como já se aproximava das 16h e ainda tínha uma longa caminhada de volta, agora era retornar e descansar um pouco. O plano era sair à noite novamente para aproveitar Campos do Jordão, mais precisamente a Vila Capivari.
Assim foi feito, mas agora, de carro.
Ali perto da pousada mesmo estava, na Avenida Dr. Januário Miraglia, um restaurante bem movimentado e bom, freqüentado mais por habitantes da cidade. Depois do jantar restava passear bastante, aproveitando os belos lugares, bares e restaurantes, praças e, tudo cheio de gente na Vila Capivari (FOTO). Tudo lotado mesmo. Sentei numa praça e apreciei o movimento por um tempo. Realmente, à noite de Campos do Jordão é linda! As luzes, a decoração, o friozinho, tudo cooperava!
  



Depois a opção foi retornar, já que o frio aumentava e no dia seguinte acordaria bem cedo para aproveitar o domingo!

DOMINGO
Logo cedo de pé, café da manhã já saí com a mochila para não precisar voltar até a pousada durante o dia. Isso mesmo: de mala e cuia!!! Ehehehe!
O dia estava nublado, um pouco mais frio que no dia anterior, parecendo até que choveria.
De carro, segui pela estrada que dá acesso ao Morro do Elefante (FOTO). Pelo caminho deu para ir apreciando a paisagem formada por grandes casas e jardins suntuosos.





           Ainda não era 9h e chegava ao destino. De cima do morro, dá pra ver uma boa parte de Campos do Jordão. Visão maravilhosa!!! O teleférico não estava funcionando, mas nem precisava, a vista era tão linda que só de apreciá-la já valia a pena.

Estava muito úmido, mas isso só fez aumentar a beleza do lugar. Muitas fotos, como não podia ser diferente. Inclusive das casas e hotéis em estilo europeu.
Como chegar: siga sentido ao Centro Turístico da cidade, Vila Capivari. Passando pela Praça São Benedito e pelo Teleférico, vire à direita na rotatória onde se encontra uma estátua de cavalo e siga em frente. Vire a primeira rua à esquerda em aclive; o ponto turístico Morro do Elefante está situado no final desta rua.
Na descida, lá pelas 10h, passa-se por lugares de beleza incrível. Vale com riachos e animais pastando.
Na sequência, a linda estrada que dá acesso ao Horto Florestal. Não entrei. Melhor seria continuar o passeio por outros lugares.       
No caminho de volta, lá estava uma estação de trem. Lugar bacana para se conhecer. E foi ali, na  plataforma de embarque/ desembarque do trem que faz o passeio Campos do Jordão/ Santo Antonio do Pinhal e Campos do Jordão/ Pindamonhangaba, que podia se ver algo diferente: como fazer o trem virar no trilho, ou seja, mudar o sentido de direção (FOTO). Existe todo um aparato para fazer essa virada, foi muito legal de ver!!



Depois, rumo a feirinha que estava tendo na própria estação. O local estava bem movimentado. E adivinha quem estava lá? O Vigilante Rodoviário (FOTO). Sim, o próprio personagem. Estava tendo uma exposição e o ator Carlos Miranda, o Vigilante Rodoviário, estava lá, devidamente trajado para propagar o livro que escrevera sobre sua vida e a de seu personagem. Foi emocionante!!!!


            Esse é o nome do seriado genuinamente brasileiro dos anos 60 e 70, que tinha o vigilante e seu cão, fazendo patrulhas e prendendo ladrões!! 
Claro, fotos não faltaram por ali.
12h e foi ali, pertinho mesmo, que o almoço aconteceu.
De volta a Vila Capivari, para apreciar mais a arquitetura das construções locais e curtir um pouco mais dessa tão bela e movimentada região.
 Já se aproximava das 14h e agora era seguir o percurso de conhecimento. Agora até a Ducha de Prata (FOTO), que fica na Avenida Roberto Simonsen, no bairro de Vila Inglesa, na estrada para a Vila Capivari. Além das quedas d'água, há também barraquinhas com produtos artesanais e souvenires. As duchas artificiais foram formadas com o represamento das águas do Ribeirão das Perdizes. Antigamente, nesse local, banhavam-se os hóspedes da antiga e famosa Pensão Inglesa.




Depois, seguindo, veio o Pico do Itapeva e a linda vista (FOTO).




           
 É o lugar onde se tem uma das vistas mais privilegiadas da Serra da Mantiqueira.
Do alto de seus 2.035 m de altitude, é possível avistar 15 cidades do Vale do Paraíba. São elas: Tremembé, Guará, Aparecida, Taubaté, Pindamonhangaba, Roseira, Caçapava, Potim, Cruzeiro, Lorena, Piquete, Moreira Cesar, São José dos Campos, Eugênio de Melo e Cachoeira Paulista.
Faz parte de Pindamonhangaba, mas como o único acesso por asfalto fica em Campos do Jordão, passa a ser atração turística da cidade. Fica a 14 km da Vila Capivari, é todo recortado por trilhas, que podem ser feitas a cavalo, moto, bicicleta ou mesmo caminhada, para os mais corajosos. Um lindo e tranquilo lago dá boas vindas, montando uma linda paisagem junto às árvores ao redor da margem. Aproveitando o relevo generoso da natureza, o Pico do Itapeva abriga ainda retransmissores de UHF e VHF, e também um laboratório de pesquisas de raios cósmicos montado pela FAB (Força Aérea Brasileira).
Ô máquina fotográfica importante. Fotos e mais fotos! 
Como chegar: siga até Vila Capivari, o Centro Turístico da cidade. Passando pelo Shopping Boulevard Geneve, siga sentido ao Tênis Clube; vire à direta, passando pela Ducha de Prata onde há uma placa indicando o caminho. Em frente ao Hotel Quatre Saison, vire a rua à direita e siga até o cume do Pico do Itapeva para se deslumbrar com toda a belíssima paisagem que de lá se avista.
Bem, 16h, e depois deste passeio extasiante, esfuziante, e todos o adjetivos possíveis, estrada retornando para Campinas! 
Mesmo durante a temporada pode-se visitar Campos do Jordão gastando-se pouco. Como feito aqui, se hospedando e se alimento fora da região da Vila Capivari, que é a mais agitada. Ali por causa do turismo forte, em geral tudo tende a ter preços elevados.


Nenhum comentário:

Postar um comentário