Páginas

terça-feira, 1 de janeiro de 1980

Paises da Europa que não precisam de visto de entrada

PAISES DA EUROPA QUE NÃO PRECISAM DE VISTO DE ENTRADA

O Brasil e países da União Europeia tem firmado um acordo para a isenção de visto em viagens de até três meses. A medida é recíproca, portanto vale também para os europeus que vierem para o Brasil, por até três meses.


Então, os brasileiros não precisam de vistos para entrar em 26 dos 27 países do bloco Europeu: Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Chipre, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Hungria, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Polônia, Portugal, República Checa, Romênia e Suécia. A necessidade de visto permanece apenas em alguns casos para o Reino Unido, já que a Irlanda tem um acordo próprio de isenção com o Brasil.


Pelo acordo, a isenção é válida para passaportes comuns e viagens até três meses de duração. O benefício vale para quem viajar a turismo, visitar parentes e participar de conferências, reuniões e congressos – exceto quando a pessoa recebe recursos públicos para a participação.


Os governos podem suspender a vigência do texto se considerarem necessário.


Mesmo sem a necessidade de visto, os turistas precisam cumprir algumas exigências, que variam de acordo com o país, para entrar na União Europeia. Basicamente são necessários, além do passaporte dentro da validade, comprovantes de hospedagem ou carta convite de alguém que resida no continente, comprovação de meios financeiros para se manter durante a estadia, reserva de passagem de volta ao Brasil e um seguro saúde, mas é importante consultar a regra específica do país de entrada, para evitar dores de cabeça.

18 dicas para evitar roubo de mala





18 DICAS PARA EVITAR ROUBO DE MALA


Antes da viagem, durante os preparativos


1.Pense duas vezes antes de comprar uma mala sofisticada. Bagagens novas e de grife tendem a chamar a atenção dos bandidos por serem indicativo de alto poder aquisitivo.


2. Personalize a mala com fitas coloridas e adesivos para facilitar sua identificação. Dessa forma, as chances de alguém levá-la por engano são menores.


3. Faça sua mala se destacar. Os bandidos costumam furtar peças comuns que se assemelham à de tantos outros passageiros, como as pretas de rodinhas, por chamarem menos atenção. Portanto, considere comprar uma bagagem de cores chamativas ou decore a sua com fitas e acessórios coloridos.


4. Coloque os itens mais valiosos no fundo da mala. Com poucos minutos para fazer o assalto, os bandidos tendem a pegar o que está no topo ou nos bolsos.


5. Disfarce os produtos de valor acomodando-os dentro da mala em embalagens que não despertam a atenção, como uma bolsa térmica ou uma fralda de bebê, por exemplo.


6. Identifique a sua mala com uma etiqueta ou adesivo com seu nome e telefone. Isto poderá auxiliar na localização, no caso de extravio.


7. Se for necessário despachar equipamentos ou produtos eletrônicos de valor, vale a pena tirar fotos dos produtos que está carregando. Isto poderá lhe ajudar a comprovar o valor da sua bagagem caso precise acionar o seguro ou entrar com uma ação judicial. Não se esqueça também de guardar as notas fiscais dos produtos adquiridos na viagem.


8. É possível declarar à empresa aérea os itens contidos na mala despachada, com os respectivos valores, ainda no “check-in”. O atendente deve ficar com uma cópia da lista e entregar outra assinada ao passageiro. Nesse caso, a empresa aérea poderá verificar o conteúdo listado e cobrar um adicional sobre o valor declarado.


9. Para não despertar a atenção dos bandidos, tire os produtos comprados da caixa e arranque a etiqueta. Os presentes para a família e os amigos também devem ser levados sem embalagem.


10. Não coloque objetos de valor, como joias, dinheiro e cartões de crédito, na mala que será despachada. Eles devem ser transportados na mala de mão. O mesmo vale para produtos eletrônicos, como máquinas fotográficas, laptops e celulares, produtos bastante visados pelos bandidos. Outros itens que costumam ser alvo dos meliantes são brinquedos, bolsas e perfumes importados.


11. Viaje leve. Há muitas vantagens em arrumar a mala de modo a levar apenas o essencial. Além de ter menos coisas para carregar, supervisionar e tirar da esteira, são menos itens para checar ao chegar ao destino. Sempre que possível, viaje só com a mala de mão.


12. Se for possível, opte por voos diretos. Quanto maior o número de conexões, maiores são as chances da sua mala se perder pelo caminho.



No aeroporto


13. Considere plastificar a mala para garantir segurança extra. Apesar dos cadeados serem um empecilho a mais para a ação dos bandidos, eles podem ser facilmente abertos. A embalagem plástica dificulta a violação.


14. Não descuide da mala deixando-a sozinha, nem mesmo enquanto estiver no café, na livraria ou no banheiro.


15. Vá para a esteira buscar a sua mala assim que desembarcar do avião. Afinal, nada mais tentador do que uma mala rodando várias vezes sem ninguém para pegá-la.


16. Chegue ao aeroporto no horário recomendado. “Check-ins” nos últimos minutos aumentam a chance de alguma confusão e a mala ser enviada para outro destino.


17. Antes de despachar, verifique se sua mala foi identificada para o destino correto pela atendente da companhia aérea.


18. Ao pegar a sua mala na esteira, abra-a e confira se nada foi furtado, ainda que não haja sinais de violação. As empresas aéreas não aceitam reclamações após a saída da sala de desembarque.

Documentos necessários para viajar com crianças

Veja exigências para se locomover no Brasil e no exterior com menores de idade


VIAGENS NACIONAIS
Com o pai e a mãe, ou apenas um deles
Carteira de identidade ou a Certidão de Nascimento original para comprovação de parentesco.


Com tutor ou parentes
Crianças viajando com avós, bisavós, irmão, tios ou sobrinhos maiores de 18 anos precisam portar documento original com foto que comprove o parentesco.


Menores viajando sozinho ou com outra pessoa sem parentesco
Crianças menores de 12 anos viajando com acompanhante sem parentesco precisam de autorização de viagem por escrito *, assinada pelo pai e pela mãe, com firma reconhecida em cartório. Adolescentes, de 12 a 18 anos, podem viajar sozinhos em território nacional.


VIAGENS INTERNACIONAIS
Com o pai e a mãe
Para viajar com os pais, menores de 18 anos precisam carregar passaporte ou, se for para os países da América do Sul, carteira de idade original. O novo passaporte brasileiro (azul) não tem informações de paternidade, portanto, é preciso apresentar o documento de identidade no check-in.


Com apenas um dos pais
Para crianças viajando somente com o pai ou com a mãe, o outro deverá autorizar por escrito*, com firma reconhecida em cartório por autenticidade, por semelhança ou por escritura pública. A regra vale mesmo se os pais estiverem indo para o mesmo destino, mas em voos diferentes. Caso uma das partes não puder dar a autorização, é preciso requerer a autorização judicial em uma Vara da Infância e da Juventude.


Viajando sozinho, com parentes ou terceiros maiores de 18 anos
Crianças e menores de 18 anos viajando sem os pais precisam de uma autorização de viagem por escrito*, assinada por ambos os pais, com firma reconhecida em cartório. Caso uma das partes não puder dar a autorização, é preciso requerer a autorização judicial em uma Vara da Infância e da Juventude.


HOSPEDAGEM EM HOTEL


De acordo com normas do Estatuto da Criança e do Adolescente, é proibida a hospedagem de crianças e adolescentes em um hotel sem a autorização ou acompanhamento dos pais, e documento de identidade ou certidão de nascimento que comprove o parentesco.


* Modelo da autorização de viagem pode ser obtido no site do Tribunal de Justiça de São Paulo