Páginas

quarta-feira, 2 de janeiro de 1980

MINAS GERAIS (Brumadinho - Belo Horizonte - Sabará)



🔻MINAS GERAIS🔻

Brumadinho
Belo Horizonte
Sabará




Brumadinho está localizado da região metropolitana de BH, no vale do Paraopeba, possui belezas naturais, riquezas históricas e culturais, é sede do Instituto Inhotim maior centro de arte ao ar livre da América Latina.
Sabará pertence as cidades históricas de Minas Gerais com muita história e igrejas no centro histórico.
Belo Horizonte capital de Minas Gerais. No passado, bandeirantes que procuravam ouro e pedras preciosas se estabeleceram pela região onde hoje se encontra a grande capital mineira. Surgiu ali uma fazenda chamada “Cercado” e depois o povoado “Curral Del Rei”. Por ser um lugar muito agradável, foram surgindo outras fazendas e o povoado foi se desenvolvendo. Nessa época, a capital do Estado era a cidade de Ouro Preto. Com a proclamação da República, surgiu a ideia de retirar a capital de Ouro Preto. Depois de pesquisas, Curral Del Rei foi escolhido. Iniciou-se o planejamento e depois as construções objetivando abrigar 200 mil habitantes. Portanto, uma cidade planejada, inspirada em Washington, nos EUA. Largas avenidas, praças e um moderno sistema de transportes. Foi assim que em 12 de dezembro de 1897, na Praça da Liberdade, aconteceu a festa de inauguração da então Cidade de Minas. Somente em 1901 é que recebeu o nome de Belo Horizonte.

DIA 1 - BRUMADINHO
Partimos de ônibus de Belo Horizonte para Brumadinho, para conhecer o Instituto Inhotim, que é a sede de um dos mais importantes acervos de Arte Contemporânea do Brasil.  


Chegando já fomos para bilheteria comprar os ingressos, pois já havia fila. Com um mapa do parque em mãos seguimos nossa caminhada.

E logo já encontramos o primeiro lago, pois existem outros espalhados pelo parque.



Seguindo as esculturas de bronze, obras do paulista Edgard de Souza. Representam uma figura masculina nua baseada no corpo do próprio artista.



Bem pertinho Obra Magic Square nº5, de Hélio Oiticica, os Labirintos Públicos.




Agora Galeria True Rouge, onde existem obras de Tunga como esculturas, filmes, vídeo, performance... 



Os famosos fuscas coloridos (Troca-Troca), de Jarbas Lopes perto da entrada das Cosmococas.  




Panacea Phantastica, de Adriana Varejão. Um cojunto de azulejos que tem retratados 50 tipos de plantas alucinógenas de diversas parte do mundo.



Origem da Obra de Arte, vasos de cerâmica que formam letras. Ao fundo da foto na casa branca, tem todo o instrumento de jardinagem e sementes para o visitante poder plantar nos vasinhos.



Obra "Piscina", de Jorge Macchi. Uma caderneta de endereço com índice alfabético, inclusive o vistante pode se deliciar!😊



Para finalizar o mural Abre a Porta, de John Ahearn, que representam uma procissão que acontece anualmente na Igreja de Inhotim, em frente ao mural. 



Pra informações e ingressos acessem o link👇
http://inhotim.org.br/visite/ingresso/

DIA 2 - BH
Primeiro passeio do dia, o famoso Mineirão, ou Minas Arena. Em torno dele são 80 mil metros quadrados, com comércio, praça de conveniência e sanitários. Existe ali uma enorme área aberta propiciando às pessoas praticarem vários esportes. Há também uma passarela de 15 metros de extensão que liga o Mineirão ao Mineirinho. 




Depois de uma volta em todo seu entorno seguimos para Avenida Coronel Oscar Paschoal, para comprar os ingressos.👇
http://estadiomineirao.com.br/museu-e-visita/ingressos/

O ingresso dava direito à visita ao Museu do Futebol...




...e depois o estádio. Passamos pelos corredores que os jogadores passam, depois conhecemos os banheiros, as duchas com banheiras, vestiário, sala de imprensa, sala comissão técnica e chegamos ao gramado. Lado de fora, claro. Subimos todos para as arquibancadas. Ã‰ muita história. Vale a pena!! ⚽⚽



Pertinho dali a Pampulha (na verdade já estávamos na Pampulha, seguimos mesmo para lagoa que tem o mesmo nome), apenas uma descida. 
Faz parte de um complexo com outras atrações turísticas e foi projetada por Oscar Niemeyer.



Caminhamos uma boa parte, até chegarmos na Igreja São Francisco de Assis (FOTO), também muito famosa, pois seu projeto arquitetônico é de Oscar Niemeyer. O seu interior é bem pequeno.


Nessa região ainda tem algumas atrações: Casa do Baile, Museu de Arte, Parque Ecológico e Zoológico. Optamos por não conhecer nenhum desses, por estarem um tanto quanto longe de onde estávamos.

Voltamos para o centro e fomos para o Parque da Cidade (Parque Municipal Américo Renné Giannetti) localizado na Avenida Afonso Pena. Abrange uma área de 182 mil metros quadrados, com ampla diversidade de espécies de árvores, monumentos históricos, equipamentos esportivos, muitos brinquedos para as crianças se divertirem, lago com barquinhos a remo e eventos. Um parque muito bacana e bem localizado, mas existem muitos mendigos perambulando pelo local.


Depois seguimos caminhando para a tão famosa Praça da Liberdade. Existe toda uma história ligada à praça desde sua construção em 1895-1897 com elementos neoclássicos, diferentes estilos arquitetônicos, prédios modernos projetados por Oscar Niemeyer,👇 depois um estilo pós-moderno. Coreto, fonte luminosa, árvores, ... um ótimo lugar para passear e caminhar.




Ao redor da praça fomos conhecer o Museu Memorial Minas Gerais Vale👇, com entrada gratuita. É um museu artístico dedicado as tradições do povo mineiro. 


Informações sobre o museu👇
http://memorialvale.com.br/

Logo ao lado, foi a vez de avistarmos outro belo edifício: Museu das Minas e do Metal Gerdau. Entrada gratuita. O espaço mostra a importância cotidiana e econômica dos minérios e suas implicações culturais e sociais.



Informações sobre o museu👇
http://www.mmgerdau.org.br/

Atravessando a praça, lá está o Centro Cultural Banco do Brasil. Entrada também gratuita e partimos para mais essa visita. É uma rede de espaços culturais geridas e mantidas pelo Banco do Brasil, afim de disseminar a cultura pela população. 



Não conseguimos conhecer o Espaço de Conhecimento UFMG, a Biblioteca Pública e a Casa Fiat de Cultura, que fica tudo ali em volta da praça.

DIA 3 - BH
Começamos o passeio pelo Parque das Mangabeiras (FOTO), localizado na Serra do Curral, Zona Sul da Cidade. Maior área verde da capital mineira e um dos maiores parques urbanos da América Latina. 


Dali mesmo do centro, pegamos o ônibus que nos deixou na portaria do Parque, ou seja, na entrada mesmo, do lado Sul, pois existem outras entradas. Entrada chamada Praça das Águas, muita bonita, espaçosa, com lago grande cheio de peixes, bancos, árvores, sanitários e quiosques de alimentos.


São 3 opções principais de trilhas: Roteiro das Águas, Roteiro da Mata e o Roteiro do Sol. Seguimos caminhando pelo Roteiro da Mata. Depois de 1h de muito sobe e desce, chegamos ao Mirante da Mata, de onde é possível ver BH.



Continuando na trilha, mas agora descendo apenas, outra 1h de caminhada e chegamos à Cascatinha. Local com bancos, uma cachoeira pequena e bancos para descansar e fazer piquenique. Seguindo nossa caminhada e mais um pouco de descida até chegarmos ao Lago dos Sonhos. 

Depois começamos a subida. Ufa! Muita subida. Mais de 1h subindo e parando até chegarmos ao Parque Desportivo, com uma pista de skate já lotada. Mais uma subidinha e finalmente chegamos ao nosso ponto de partida.

No centro, fomos conhecer o Mercado Central👇. É muito grande. Centenas de lojas: artesanato, comidas típicas, artigos religiosos, tabacarias, floricultura, bebidas, animais, vestuário, acessórios, frutas secas, bares, restaurantes, suplementos esportivos, utilidades domésticas, temperos, aquários, peixes, presentes, possui também estacionamento, sanitários, elevadores. 




DIA 4 - SABARÁ
Nossa programação principal era uma visita à cidade histórica de Sabará. Mas antes fomos conhecer a Feira de Arte e Artesanato que acontece todos os domingos, das 8h às 14h, na Avenida Afonso Pena em frente ao Parque da Cidade, bem no centro da cidade. O tamanho? Gigantesca. A feira é dividida por setores: alimentação, setor infantil/ bebê, bijuterias, arranjos, cintos, bolsas e acessórios, calçados, cama, mesa, banho, tapeçaria, decoração, utilidades, cestaria, flores, artes plásticas são expostas nas grades do parque, e por aí vai. São aproximadamente 3.000 expositores. Não caminhamos por toda a feira, pois ainda íamos para Sabará.


Seguimos para o ponto de ônibus. Depois de uns 40 minutos, chegamos à Sabará. Não é apenas uma cidade histórica, pois novas construções foram acontecendo. Então ficou uma mistura de duas épocas. A parte histórica é interessante. 

Igreja de São Francisco de Assis, templo católico, tombado pelo IPHAN.  



Praça do Rosário, foi construída pela Irmandade dos homens pretos da Barra do Sabará, mas a decadência das minas não permitiu que fosse concluída.   



Chafariz do Rosário, decorado com ornatos de pedra sabão. É considerado o mais belo chafariz da cidade. 



Igreja Nossa Senhora das Mercês, marcada pela simplicidade em estilo barroco colonial.



Museu do Ouro, constam peças e equipamentos utilizados na garimpagem e na arte de ourivesaria.


Igreja Nossa Senhora do Carmo, é um importante exemplar da tradição artística barroca em rococó no país. Também é tombado pelo IPHAN. 



Em meio dia é possível conhecer toda parte histórica. Foi isso que aconteceu conosco e tínhamos tempo ainda, sentamos então na Praça Santa Rita e ficamos um bom tempo por lá.


É assim encerramos nossa trip por Belo Horizonte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário