Páginas

quarta-feira, 2 de janeiro de 1980

Águas de São Pedro e Barra Bonita






ÁGUAS DE SÃO PEDRO 
E



 
BARRA BONITA 



SÁBADO
Manhã muito bonita de sol, mas um pouco fria. Partimos rumo à pequena Águas de São Pedro. Cruzamos o portal da cidade e chegamos à rodoviária, localizada em uma das extremidades da Avenida Carlos Mauro. Essa avenida com aproximadamente 500 metros de extensão, possui um riachinho no centro, tem muitas árvores e é o grande ponto turístico da cidade.
Veículo estacionado e a caminhada teve início. Inicialmente fomos a uma padaria, para um delicioso café da manhã. Depois, fomos conhecer a Igreja Matriz da Imaculada Conceição. Dali, caminhando pela avenida, seguimos até o Fontanário Municipal. Lugar bacana, com uma fonte central muito bonita e ao redor, três bebedouros diferentes de águas minerais. Sem dúvida a que mais chama a atenção é a fonte da juventude, com água sulfurosa com cheiro e até um gostinho de ovo.
Ao lado fica o Spa Thermal. Para banhos e massagens, esse é o local.
Seguindo fomos à Praça das Fontes (FOTO). Quando chegamos, o chafariz estava desligado. Por ali ficamos um pouco e logo, para nossa felicidade, ligaram o chafariz. Depois de contemplarmos um pouco, atravessamos a rua e fomos ao Parque Dr. Octávio Moura Andrade. Caminhamos um pouco por uma das trilhas e como já se aproximava do meio dia, a fome avisava que em breve teríamos que almoçar.


Dalí, pegamos o carro e fomos conhecer a Torre Balloni. É uma antiga torre que tinha a intenção da perfuração do solo para encontrar petróleo, mas na verdade, encontraram apenas água mineral. E foi através dessa torre que a cidade teve origem. Para quem gosta de história, vale uma pesquisa a respeito.
Depois de visitada, a vez foi do Relógio do Sol. Construção simples e nada turística, em nossa opinião.
Pois é, a fome apertou de vez, já que passava das 13h. Optamos por seguir viagem e almoçar em São Pedro. E foi o que fizemos, em um restaurante ao lado da rodoviária.
Passava das 14h e fomos conhecer o Parque Maria Angélica Manfrinato. Muito bonito e bem cuidado, com um lago central hiper povoado por peixes. Caminhamos pela pista de concreto que circunda esse lago e, claro, sentamos em um banco para apreciar e desfrutar desse início de tarde tão gostoso.
Já perto das 16h, lá fomos nós ao Parque do Cristo, sendo a atração principal, a estátua enorme do Cristo. A vista de lá é fantástica.
Logo do outro lado da estreita e sinuosa rodovia que nos conduziu ao local, está um mirante e é para lá que fomos. Grata surpresa tivemos ao perceber que a vista dali era melhor que a do local anterior: muito verde, São Pedro ao longe e mais ao longe ainda, a grande Piracicaba. Depois de aproveitar bem todo esse sensacional visual, com um solzinho bem gostoso, era hora de partir.
Já de volta à São Pedro, foi a vez de conhecermos a igreja matriz. Dali, direto para o hotel, pois a noite já se aproximava.

DOMINGO 
Do quarto direto para o restaurante do hotel, onde nos deliciamos com o café da manhã. Isso feito, hora de fazer o “check out” e pegar a estrada. A próxima parada e último destino era Barra Bonita. Oh estradinha ruim que pegamos, viu!
Já na cidade, ainda pouco movimentada pois era bem cedo, fomos direto ao Museu Municipal Luiz Saffi. É um prédio antigo e bonito, situado em frente ao porto. Ali existem muitos objetos e móveis antigos. Muito legal. O que mais nos chamou a atenção foi uma geladeira de madeira construída pouco antes do século XX.
Saímos e caminhamos um pouco pela avenida do porto. Depois compramos os ingressos para o passeio de barco pela eclusa, com direito a refeição. Passeio esse, já feito anteriormente. Mas que sem dúvida, vale a reprise.
Às 11h, embarcamos. Logo começaram as músicas e a animação do DJ. Pouco depois lá estava a eclusa (FOTO). Após o processo na eclusa, subindo o Rio Tietê, foi servido o almoço. Por sinal, muito farto e gostoso. Após uma volta o barco retornou para a eclusa para o processo inverso, ou seja, a descida e retorno ao porto, onde chegamos já perto das 13h.


Hora do caminho de volta, porém agora, passando por São Manuel, para evitar aquela estadinha ruim. Agora essa estrada, asfaltada e muito movimentada por caminhões, principalmente transportando cana. E foi com a passagem de um desses que uma pedrinha foi lançada direto no pára brisa de nosso veículo, danificando o mesmo. Uhhhhh! Prejuízo!
Pouco antes das 15h, chegamos em Águas de São Pedro, novamente, e decidimos conhecer um ponto turístico que tinha ficado para trás: a Casa do Fundador. Então fomos mais uma vez para o fontanário e optamos por descansar um pouco por ali.


Às 16h, pegamos a estrada de volta à Campinas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário